sábado, 22 de agosto de 2015

O CANDOMBLÉ FAZ “MEDICINA PREDITIVA”


PREDIÇÃO NO CANDOMBLÉ

Acreditamos que o sacerdote ou sacerdotisa precisa dialogar, pelo menos em 3 níveis. O primeiro é a linguagem do terreiro, onde clientes, filhos e filhas de santo se afeiçoam e experimentam a força do Aşé. A segunda é direcionada aos Iniciados e Iniciadas, onde os fundamentos são transmitidos e desenvolvidos. Finalmente temos a linguagem para a sociedade civil abrangente, onde traduzimos para todos (independente da filiação religiosa) o que aprendemos e ensinamos em nossos barracões.
Embora sejamos de tradição oral secundária e com a práxis de terreiro há mais de 50 anos, não podemos deixar de fazer uma analogia de medicina acadêmica. Por um motivo muito simples, é na medicina acadêmica que a sociedade se apoia oficialmente para tratar as doenças. Ocorre que essa medicina hoje terapêutica, pretende ser preditiva.
O sacerdote, ou Onişégun, quando faz o seu jogo, pode não saber desses conceitos mais afetos à medicina, mas certamente sabe como neutralizar o aspecto de oşogbo para não ter doenças futuras (predição). Claro que tudo o que estamos expondo neste texto e neste vídeo é fruto da nossa vivência de terreiro. Fazendo uma analogia com a medicina, o sacerdote, ou Onişégun, jogando e sabendo qual o odu e como neutralizar esse estado citado (oşogbo), pode fazer com que o gene deletério não tenha expressividade e penetrância. Ou seja, que a doença não se apresente no cliente que acorre ao terreiro.
Assim estamos valorizando o Candomblé e o que há de mais importante neles, os bastiões da Tradição. Evidente que nos referimos aos pais e mães de santo. Aos interessados neste e outros aspectos da “medicina preditiva” do candomblé, a sugestão não pode ser outra: busque seu pai ou mãe de santo. Eles sabem o que fazem. Não só curam, mas com esse arsenal de Ifá, consubstanciando em Iniciação e Clarividência, podem predizer (prever) e prevenir (evitar) doenças sociais, naturais e sobrenaturais.
Muitos poderiam perguntar, mas como o Candomblé pode fazer uma medicina preditiva, se a medicina, a biomedicina (medicina acadêmica) só faz ou é essencialmente, na atualidade, medicina terapêutica?
Sim, a medicina é terapêutica mas pretende ser para o futuro (?) preditiva. Como?
Em 12 de fevereiro de 2001, o segredo da constituição humana foi revelado. Como afirmaram os membros do HUGO (Human Genome Organization), devemos imaginar o “LIVRO DA VIDA” composto por 23 volumes, com um total de 3 bilhões de letras, todas exclusivamente A,T,C,G.
Imaginemos ainda que apenas 5% desses três bilhões de letras impressas realmente contivessem a mensagem fundamental, sendo que os 95% restantes seriam desnecessários (?!!).
Essa analogia que fazemos representa o genoma humano. Cada um dos 23 volumes seria um de nossos cromossomos. Cada capítulo representaria um fragmento de DNA (a substância da vida que compõem o cromossomo); porém, 95% dos capítulos não teriam interesse.
Só 5% do nosso genoma codifica proteínas, sendo considerados os carros-chefes da maioria das funções biológicas (manifestações do código dos odu).
O primeiro passo para desvendar esse mistério seria descobrir em que ordem a natureza posicionou esta sequência de 3 bilhões de bases nitrogenadas que compõem o DNA (A/T e C/G adenina/timina e citosina/guanina), segredo guardado por milhões de anos.
As descobertas foram muitas. As estimativas quanto ao número de genes da espécie humana giravam em torno de 100 mil. Porém, o número de genes encontrado é 1/3 disso, cerca de 30 mil.
Existem pelo menos 12 mil doenças genéticas diferentes das quais, com certeza, da maioria delas a sociedade nunca ouviu falar. Como consequência futura, a medicina oficial acadêmica, que hoje é quase na totalidade uma medicina terapêutica, será uma medicina preditiva.
Afirmamos será uma medicina preditiva, enquanto o Candomblé tem condições por intermédio dos vaticínios oraculares promovidos por Orunmilá Ifá (vários métodos: alubaça, obi, orobo, inhame, maçã, búzios, opelé e Oponifá) de ser, pois sempre foi, uma “medicina preditiva”.
Para maiores detalhes remetemos ao vídeo “O Candomblé faz “Medicina” Preditiva”. No vídeo entenderemos melhor o que expressamos no texto e que complementaremos no próximo vídeo da série Candomblé, Equilíbrio e Aşé.



Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve,
Babá Rivas T'Ogyion
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 643

Nenhum comentário:

Postar um comentário