quinta-feira, 31 de julho de 2014

Religiões Afro-Brasileiras - Casamento na Encataria/Jurema

Dando continuidade aos nossos diálogos, na publicação de hoje, disponibilizamos vídeo que apresenta momentos importantes do casamentos de dois de nossos filhos espirituais (Araritan e Daniela) na Encantaria, na Jurema ritualizado no Ile-Oka 7 Estradas, em Itanhaém - São Paulo.



Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 531

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Religiões Afro-Brasileiras - Visão atualizada da Tradição de Jurema

Neste vídeo, pretendemos apresentar de uma maneira clara e transparente as diferentes posições sobre determinadas questões que se referem ao culto da Jurema, aos Mestres e encantados. Como muitas pessoas sabem, antes de minha vinculação com a umbanda esotérica, estive ligado por anos ao ritual jeje-nago e também às encantarias. Desde a infância tive contato, olhei, vi e vivenciei esse grande universo. Hoje, como sucessor de W.W.da Matta e Silva, procuro rever e apresentar minha maneira de ressignificar alguns pontos que a mim são muito caros. A própria ideação, concretização e continuidade do Projeto da Faculdade de Teologia com ênfase em Religiões Afro-brasileiras só possui tamanho êxito graças ao olhar equânime a todas as escolas afro-brasileiras. Assim, esperamos que o vídeo possa auxiliar a esclarecer alguns desvios e preconceitos que são firmados sob nossa pessoa, na tentativa de enquadrar e tornar estática uma escola afro-brasileira, no caso, a umbanda esotérica. Como apontamos em publicações anteriores, temos a estrutura e a dinâmica religiosa. Na estrutura, os fundamentos são realizados, praticados e, felizmente, sofrem abalos positivos em função da dinamicidade, da transformação. Então, demonstramos no vídeo esse processo para firmar nossa posição de respeito e de total vivência dos fundamentos da encantaria, vide nossos trabalhos no Ile-Oka, em Itanhaém.
Axé!


Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 530

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Ordenação Sacerdotal do Mestre de Iniciação do 7º Grau Yamandhara

Aos amigos do blog hoje temos a alegria de publicizar mais uma vitória para nossa comunidade de santo que foi a Iniciação de 7o grau no 1o ciclo de Mestre Yamandhara, nosso filho espiritual de muitos anos. Sabemos que vídeos e fotos não conseguem dar conta dos sentimentos e vibrações espirituais que são movimentadas em um ritual de ordenação como esse, mas é nosso intento deixar para a posteridade registros do trabalho efetivo de Yamandhara, de seu empenho, dedicação e fidelidade. Fidelidade esta que foi e continuará sendo dedicada ao pai de santo, à comunidade de santo e às religiões afro-brasileiras como um todo!
Axé!
 
 
 
Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 529

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Religiões Afro-brasileiras: Pronunciamento Pai Rivas dialogando na teoria e na prática com as religiões afro-brasileiras

Nesse vídeo pretendemos esclarecer alguns desvios conceituais e juízos de valor que tem sido elaborados a nosso respeito e à nossa atuação enquanto sacerdote.
De maneira didática, nosso objetivo foi mostrar de que forma entendemos e vivenciamos as religiões afro-brasileiras. É possível observar que trabalhamos com duas chaves de interpretação: a estrutura e a dinâmica religiosa. Na primeira, demonstramos as características e especificidades dos fundamentos de cada escola afro-brasileira (umbanda, encantarias e candomblé). Na segunda, abordamos as dinâmicas e transformações dentro de cada escola e as porias e diálogos que vão sendo travados entre eles sem que haja perda de coerência e consistência de fundamentos.
Esperamos que o vídeo seja esclarecedor!
Axé!



Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 528

quinta-feira, 17 de julho de 2014

FTU no 27º Congresso Internacional da SOTER

Gostaríamos de dedicar nossa publicação a noticiar a presença da FTU no Congresso Internacional da Sociedade de Teologia e Ciências da Religião (SOTER) em Belo Horizonte por meio de alguns filhos espirituais. Ontem, Yacyrê e Yabauara representaram a faculdade estabelecendo parcerias e dialogando com vários de nossos amigos professores, como vocês poderão ver nas fotos abaixo. O evento tem por finalidade promover várias discussões teológicas e do campo das ciências sociais e é motivo de muita alegria saber que, já há alguns anos, a teologia afro-brasileira tem garantido seu espaço por meio dos artigos acadêmicos produzidos e das amizades firmadas entre vários colegas, de várias instituições. Hoje, a teologia afro-brasileira, por meio da presença da FTU em eventos que, até bem recentemente eram estritamente cristãos, consegue dialogar, estabelecer laços e parcerias. Além de mostrar o valor da teologia afro-brasileira e da nossa instituição, nossos filhos tem procurado firmar parcerias com a EST, PUC-SP, PUC-PR, Faculdade Messiânica, UMESP, UFPB, UFRN, entre tantas outras instituições. É motivo de honra saber que tantas realizações tem sido realizadas e, principalmente, por ser testemunha de que tudo isso nasceu da experiência de terreiro. Hoje, portanto, a FTU cumpre com seu papel teológico: o de estabelecer os vínculos entre os saberes tradicionais de terreiros e os saberes religiosos.

Dando sequência às atividades do congresso, hoje, quinta-feira (17/07), será apresentado o artigo Conflitos e tensões de homossexuais em terreiros de umbanda e candomblé: questões de gênero nos transes afro-brasileiros de autoria de Maria Elise Rivas (Yamaracyê), Érica Jorge (Yacyrê) e João Luiz Carneiro (Yabauara). Eles estão levando ao congresso reflexões interdisciplinares sobre a questão de gênero nos terreiros. Com as contribuições advindas da teologia, das ciências da religião e da antropologia, eles problematizam a questão do preconceito sofrido (ou não) pelos homossexuais em momentos de transe religioso em alguns terreiros. Trata-se de um trabalho que tem como objetivo contribuir às discussões acadêmicas que interfaceiam gênero e religião tomando por base a noção de transe, de performance e corpo nos terreiros de umbanda e candomblé. Temos certeza que o trabalho trará novos olhares sobre estes assuntos, que todos que estiverem presentes terão possibilidade de construir um bom diálogo e, principalmente, verão que os teólogos afro-brasileiros estão atentos  e sensíveis às várias questões que a sociedade nos apresenta, fora e dentro dos terreiros.


Ayó e Axé aos meus filhos!

Profa. Érica Jorge, Prof Sérgio Junqueira, Prof João Carneiro

Prof João Carneiro, Profa Irene Dias, Prof João Carneiro

Profa Érica Jorge e Profa Selenir Kronbauer

Obs: Clique na foto para ampliar.

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 527

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Ritual de Bençãos no Ile-Oka Sete Estradas

Passo a palavra para minha filha-de-santo, uma das testemunhas do enlace ritual ocorrido ontem no Ile-Oka Sete Estradas! Após o depoimento, disponibilizamos algumas fotos!

Não poderia ser em outra noite! O casamento de Araritan e Daniela foi ritualizado sob os auspícios da lua cheia e dos encantes de Mestre Canindé.
O casamento foi realizado no Ile-Oka Sete Estradas. Grande parte dos que lá estavam faziam parte de nossa comunidade de santo e vieram de várias regiões para dividir este momento tão importante. Como não poderia deixar de ser, o casamento nas várias religiões afro-brasileiras é celebrado de maneiras diferentes. Ontem, por exemplo, foi Mestre Canindé, entidade da Jurema, que realizou o ritual, cantou, fez suas rezas, fez o enlace e de uma maneira simples e especial. 
Aos sons dos atabaques, das marcas, da zabumba, triângulo e das vozes das cantorias entoadas por todos, o casamento foi sendo realizado, com muitos elementos: chaves, machados, estrelas, facas, agulhas, figas entre tantos outros. Cada um deles, ao ser manipulado, tinha seu sentido aplicado ao casal. Eu já havia presenciado um casamento realizado por Mestre Canindé antes, porém, o de ontem foi totalmente diferente porque cada casamento, para as entidades, tem como ponto de partida:  cada pessoa, cada casal tem uma história, uma trajetória e, portanto, o ritual é específico!
Foram esses elementos todos imprimidos com a força da encantaria que deram destino encantado ao casal que lá firmava, nas palavras de Mestre Canindé, sua aliança “de corpo e de sangue”. Só quem presenciou pôde entender e sentir o alcance dessas alianças. E tenho certeza que o caminho deles, que já nasceu das fumaçadas, das rezas e louvarias vai ser trilhado com encanto e força! Ontem a lua cheia trouxe bem aventurança e plenitude aos dois! E assim, mais duas almas que se juntam para dar a volta no mundo junto com Mestre Canindé!
Salve, salve!

Yacyrê



















Obs: Clique na foto para ampliar

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 526

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Religiões afro-brasileiras: um dia, muitas vitórias!

Na última publicação de nosso blog fizemos questão de publicizar partes do ritual de consagração de nosso filho espiritual, Mestre Yamathiara, Iniciado de 7º grau, 2º ciclo. Hoje, gostaríamos que os amigos(as) tivessem a oportunidade de visualizar as fotos que registraram momentos marcantes para todos de nossa comunidade. Os rituais de consagração apenas demarcam, ritualizam, celebram pontualmente algo muito maior que é o próprio processo de iniciação, um caminho de muita responsabilidade, trabalho e fidelidade para aqueles que desejam a individuação, o encontro e identidade com seus ancestrais. Ficamos, assim, muito honrados e felizes em poder consagrar mais um filho que percorre sua trajetória com muita lealdade e firmeza nos propósitos espirituais e com um senso de realizações para as religiões afro-brasileiras como um todo. Como dizemos sempre, quem ganha é o povo de santo que sai fortalecido com exemplos dignos como o de Yamathiara.
No mesmo dia, que já era de muito alegria, fomos agraciados com uma notícia alvissareira! Dois outros filhos de santo foram aceitos como coordenadores de grupo de trabalho em um Congresso Internacional de Ciência das Religiões em Lisboa, Portugal. Yuri Tavares (Vivekara) e João Luiz Carneiro (Yabauara), ambos doutores e imersos na academia estarão representando a FTU e propiciando excelentes discussões em outro país, dando mais vozes e vezes às religiões afro-brasileiras. O melhor de tudo é para um pai de santo saber que essa vitória foi conquistada pelas experiências vividas no terreiro. É do interior do terreiro, respirando, adquirindo e compartilhando axé que ambos os filhos foram conquistar outros espaços, no caso o da academia, profissionalmente também, mas tenho certeza que pela causa maior que é o desejo de que as religiões afro-brasileiras sejam reconhecidas pelo seu valor, pela sua história, pelo arsenal simbólico, cultural, religioso e espiritual que dá ao Brasil.
Um dia de muitas vitórias, de realizações porque assim é o povo de santo: feliz e realizador!
Abaixo algumas das fotos que ora compartilhamos com vocês!

Axé!






























Obs: Clique para ampliar



Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 525