quinta-feira, 11 de setembro de 2014

A harmonia entre senso crítico e religioso: Iniciação e Academia

Um dos momentos mais importantes para uma comunidade de Axé são as suas realizações. Nossa trajetória iniciática e sacerdotal permitiu o contato com várias tradições afro-brasileiras.
Ao ultrapassar cinco décadas de casa aberta, passamos por locais físicos e realizamos ritos que marcaram profundamente a nossa relação com o Astral que, se por um lado é um só, por outro se expressa de múltiplas formas igualmente importantes. Como sempre afirmamos, a unidade na diversidade.
Esta trajetória sacerdotal culminou com o a concretização de dois templos na cidade de São Paulo e três na cidade de Itanhaém. Neles praticamos de forma específica, respeitando os fundamentos da Tradição de cada uma delas, portanto sem misturá-las, os Candomblés, as Encantarias e as Umbandas, sendo uma delas a T.U.O. – Casa Mater da Umbanda Esotérica. Esta última, Raiz da qual somos sucessor e detentor.
A diversidade religiosa experimentada desde os nossos 5 anos permitiu levar a diante a ideia de fundarmos uma Faculdade de Teologia com ênfase nas Religiões Afro-brasileiras, algo que veio a se concretizar em 2003 pela FTU. Hoje a faculdade é credenciada, autorizada e reconhecida pelo MEC (Ministério da Educação).
Muitos filhos espirituais adentraram no corpo discente da instituição, seja na extensão, graduação ou pós-graduação. Estes mesmos filhos hoje se titularam na Academia. São Mestres e Doutores em Ciências Sociais, Ciências da Religião, Geografia, Letras, Educação em instituições renomadas como a PUC-SP, UNICAMP, UFJF, USP, entre outras.
Nossos filhos penetraram no seio da academia publicando trabalhos nos mais variados Congressos, Simpósios e Seminários tanto nacionais quanto internacionais. Recentemente a FTU deu um passo importante na discussão teológica em ambiente acadêmico. Em 20013, três de nossos filhos, Yamaracyê (Doutoranda Maria Elise Rivas), Yacyrê (Doutoranda Érica Jorge) e o Yabauara (Doutor João Luiz Carneiro) foram responsáveis por um GT sobre Teologia Afro-brasileira no Seminário Internacional da ABHR (Associação Brasileira de História das Religiões) – Região Sudeste realizada nas dependências da USP.
Ano que vem a FTU vai para Europa. Na ocasião dois de meus filhos espirituais, Vivekara (Doutor Yuri Tavares) e Yabauara serão coordenadores de um grupo de trabalho (GT) no I Congresso Lusófono de Ciência das Religiões que se dará em Lisboa, Portugal.

Entendemos exatamente as diferentes características do que expusemos. Pelo lado iniciático: os templos, os ritos, os atendimentos de anos a fio expressam uma atuação predominantemente religiosa. Pelo lado acadêmico: A FTU, as titulações acadêmicas e os eventos organizados. Igualmente reconhecemos os pontos comuns: o trabalho constante e sereno do Astral, a nossa comunidade de Axé engajada na causa afro-brasileira e a Iniciação que fora passada a nós e transmitida à nossa Linhagem pautada pelo estilo de vida do povo de santo – liberdade com responsabilidade rumo à Felicidade! Axé!

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 543

Um comentário:

  1. A sua Benção. Talvez o doutor não se lembre da minha pessoa, mas há mais de 20 anos estive em sua casa. Parabéns pela divulgação e continuidade de estudo.

    ResponderExcluir