segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Enjuremação de nossa filha espiritual


Na publicação de hoje, vamos comentar sobre um importante processo iniciático que está ocorrendo em nossa casa, o Ilê Funfun Awooshogun. Trata-se da iniciação na Jurema, ou enjuremação, de Mãe Fabi (Yamaosilê), nossa filha espiritual.

Importante lembrar que um dos primeiros registros literários vem de Câmara Cascudo no início do século XX. Em sua abordagem, dava grande ênfase ao Catimbó, hoje denominado culto de Jurema, como algo folclórico, por vezes pejorativo.

De certa maneira, esta perspectiva foi amenizada pela missão folclórica de 1938. Especialmente pela pena de Mário de Andrade. Não podemos deixar de registrar também a pesquisa de Luiz Assunção (UFRN) que contribui bastante para a disseminação da Jurema no meio acadêmico.

Retomando à enjuremação, Mãe Fabi, assistida pela Mestra Lindinha do Agreste, está há alguns dias aos pés da Jurema de nossa casa passando pelas mãos de Mestres que acostam ou trabalham conosco, especialmente: Mestre Canindé, Mestre Cariri, Mestre Zé Maior e Mestre Turuatã.

Sobre a enjuremação, existem basicamente dois processos. Um é no “mato”, ou seja, literalmente sob o pé de Jurema. O outro é “urbano”, dentro da camarinha e mais usual nos dias atuais. Mãe Fabi está passando pelos dois modos e dentro de poucos dias será sua saída. Em verdade, “saídas”, pois nessas ocasiões são três... Sem mais delongas, gostaríamos de disponibilizar algumas fotos. Salve Salve!




 
Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 420

Nenhum comentário:

Postar um comentário