segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Conteúdos do curso de extensão de Ervas nas Religiões Afro-brasileiras


 Temos discutido em nossas publicações a importância de refletirmos sobre as religiões afro-brasileiras e a educação, em especial a educação a distância. No último texto falamos sobre o aparente (e falacioso) conflito entre as religiões afro-brasileiras e as inovações tecnológicas. Grande parte da literatura acadêmica e mesmo o pensamento disseminado pelas próprias comunidades religiosas enfatiza a noção de tradição como algo imediatamente relacionado às coisas de raiz, mais originais, primitivas até.

No entanto, fazer parte de uma tradição religiosa não obriga que os adeptos sejam avessos às inovações que nossa cultura nos oferece, ao contrário, as religiões cada vez mais procuram se adaptar aos elementos socioculturais, principalmente, aquelas que não fazem parte do complexo abrâmico. Com as religiões afro-brasileiras isto não é diferente. Estamos sempre procurando encontrar caminhos que nos permitam dialogar com a sociedade, afinal, religião não é exclusão. Religião é inclusão e atuação social. No nosso caso, procuramos fazer isso há mais de quarenta anos como sacerdote e também com a Faculdade de Teologia com ênfase nas religiões afro-brasileiras (FTU).

Ao falar da FTU, gostaríamos, hoje, de apresentar a vocês os conteúdos do curso de extensão universitária de ervas. O curso visa aproximar o saber científico do saber popular tradicional passando pelo saber religioso, no que se refere às ervas.

     Introduz uma visão diferenciada e amplificada do tratamento dado às ervas, formas de utilização, tanto do ponto de vista acadêmico, mas principalmente religioso, mostrando o poder de cura e atuação delas nos Cultos Afro-brasileiros.

     Torna-se patente que as ervas sempre foram utilizadas pela humanidade, inclusive pelos movimentos religiosos e especificamente as religiões afro-brasileiras possuem uma ciência particular sobre as ervas.

     O curso busca, portanto, colocar à sociedade em contato com esse olhar diferenciado das religiões afro-brasileiras mostrando que o mesmo não é alheio aos cuidados acadêmicos, muito ao contrário, apóia-se neles para melhor fundamentar sua teoria-prática.

     A proposta consiste no desenvolvimento das seguintes temáticas: 

            - noções científicas básicas das ervas, nomenclaturas e formas de classificação.

- aspectos básicos da Etnobotânica, apresentação da história de cada erva escolhida e sua adaptação ao local e sociedade de origem.

- aspectos básicos da Fitoterapia

- as ervas no cotidiano

- as ervas no cotidiano religioso dos Cultos Afro-brasileiros:

      - Banhos de ervas

      - Defumações

      - Incensos

      - Abôs

      - Boris

      - Amacys

      - Sacudimentos

      - outros 

     - a relação Ossaim – Exu – Orumilá-Ifá: as ervas no destino pessoal e coletivo

Esperamos com o curso oferecer ensino de qualidade e fomentar o interesse pelo arsenal mágico-religioso das religiões afro-brasileiras!

Maiores detalhes, acessem http://ftu.eadbox.com/ ou entrem em contato pelo email extensoaead@ftu.edu.br

Axé!

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 391

Um comentário:

  1. gostaria de saber mais informações sobre os cursos oferecidos, grata silva.corretora@yahoo.com.br

    ResponderExcluir