quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Recredenciamento da FTU é publicado no Diário Oficial da União

É com muita satisfação e alegria que publicizamos o recredenciamento da (FTU) Faculdade de Teologia Umbandista, fundada por nós, pelo do MEC (Ministério da Educação). Sendo assim, a FTU que já é autorizada e reconhecida, renovou seu credenciamento firmando-se na história como a primeira instituição de ensino superior que forma bacharéis, teólogos com ênfase nas religiões afro-brasileiras.
Sim, sempre afirmamos esta condição. A FTU forma somente teólogos. Esse é o nosso compromisso com as tradições afro-brasileiras, ou seja, a faculdade não tem pretensão ou intensão de formar médiuns e, muito menos, pais ou mães de santo. Acreditamos, porque passamos pelo mesmo processo, que sacerdote só se forma pela iniciação dentro do terreiro sob as orientações de um pai ou mãe de santo.
Lembramos que a FTU possui atualmente um curso de graduação e outro de pós-graduação presencial. Também oferece cursos de extensão universitária telepresenciais realizados Brasil a fora por meio de parceria com terreiros. São estes os cursos que recebem a chancela do MEC no exato instante que renovamos o credenciamento da faculdade.
Não poderíamos encerrar esta publicação sem deixar de agradecer a todos no MEC na figura do conselheiro Gilberto, responsável pelo parecer. Abaixo, transcrição e digitalização do Diário Oficial da União de 21 de agosto de 2013. Axé!
Ps: Devido à importância desta notícia alvissareira para as tradições afro-brasileiras, retomaremos nossos textos sobre a Raiz apenas na próxima publicação.


“e-mec: 200806156 Parecer: CNE/CES 135/213 Relator: Gilberto Gonçalves Garcia Interessada: Ordem Iniciática do Cruzeiro Divino – São Paulo/SP Assunto: Recredenciamento da Faculdade de Teologia Umbandista, com sede no Município de São Paulo no Estado de São Paulo Voto do relator: Favorável ao recredenciamento da Faculdade de Teologia Umbandista (F.T.U.), com sede na Avenida Santa Catarina, nº 400/414, Bairro Vila Alexandria, no Município de São Paulo, no Estado de São Paulo, observando-se tanto o prazo máximo de 5 (cinco) anos, conforme artigo 4º da Lei nº 10.870/2004, quanto a exigência avaliativa, prevista no artigo 10, parágrafo 7, do Decreto nº 5.773/2006, com a redação dada pelo Decreto nº 6.303/2007 Decisão da Câmara: APROVADO por unanimidade”.

obs: clique para ampliar

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 384

Nenhum comentário:

Postar um comentário