segunda-feira, 22 de abril de 2013

Primeira defesa lato sensu pós-reconhecimento da FTU

Na publicação de hoje, disponibilizamos vídeo inédito. Tal documento apresenta trechos da fala do nosso filho espiritual João Luiz Carneiro (Yabauara), Mestre em Filosofia e Doutorando em Ciências da Religião, quando defendeu seu trabalho de conclusão de curso na pós-graduação em teologia afro-brasileira da  FTU (Faculdade de Teologia Umbandista).
O trabalho de João Luiz Carneiro intitulado "Religiões Afro-brasileiras: Uma perspectiva teológica nascedoura nas ciências sociais" foi orientado pelor maior escritor acadêmico sobre religiões afro-brasileiras: professor doutor Reginaldo Prandi. Aliás, o próprio professor Prandi conduziu a banca complementada por mim e pelo professor doutor Cassiano Terra Rodrigues.
Ressaltamos que é um fato histórico porque se trata do primeiro projeto de pesquisa na área de pós-graduação teológica afro-brasileira aprovado nessa instituição e no mundo. Aprovação que ocorre justamente após o reconhecimento pelo MEC, registrado no Diário Oficial da União dia 17 do presente mês.
Em tempo, ao final do vídeo, é possível ver e ouvir o professor Prandi, orientador do João Luiz na presenta pesquisa, anunciar a nota do trabalho. O trabalho de nosso filho espiritual foi aprovado com louvor, recebendo o conceito máximo do curso por unanimidade da banca: 10!





Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 350

Um comentário:

  1. Que alegria João (Yabauara), ao ver sua apresentação e as considerações do professor Prandi, com certeza você trouxe a todos que estavam presentes e os que assistiram pelo vídeo, um orgulho de pertença, um sentimento que esteve velado por muito tempo por imposições preconceituosas de vários segmentos de uma sociedade desigual.
    É como se guardássemos um grito secular e no momento de sua aprovação, tal como o canto do galo se ouvia ao fundo, todos gritávamos em uníssonos:
    Orixaáá, Orixááá !
    Este brado de libertação, da quebra do libambo, onde fomos submetidos por muito tempo, hoje se desfaz...
    Paó a você João - Yabauara!
    Paó ao mestre Arhapiagha!
    Paó a todos de sua linhagem!
    Ygbere

    ResponderExcluir