quinta-feira, 21 de março de 2013

RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS – ITANHAÉM A TRADIÇÃO CONFIRMADA DE ITACURUÇA


Depois de vários vídeos e textos sobre meu relacionamento iniciático com Pai Matta (Matta e Silva) durante 18 anos, aproveito o ensejo para comunicar a todos que se interessam pelo meu trabalho no campo das Religiões afro-brasileiras, a fundação do TEMPLO DE OKAMARAGUAÇUSHAMAN, em Itanhaém, que acredito ter ficado claro a ocasião e oportunidade de sua edificação.
Nos idos de 1971, há 42 anos estivemos pela primeira vez em Itacuruçá em pleno litoral sul do Rio de Janeiro, na Tenda Umbandista Oriental, de W.W. da Matta e Silva, Pai Matta.
Achamos tudo maravilhoso, tudo nos remetia ao Sagrado, a começar pela entrada da cidade, com seu “arco do triunfo”, repleto de sinais pré-históricos similares ou próximos ao “signário” da Lei de Pemba, verdadeira Escrita Teúrgica, Mágica e Sagrada, a qual foi trazida à luz por intermédio mediúnico de Matta e Silva, o saudoso Pai Matta.
A tradução do vocábulo Itacuruçá é “A Pedra da Cruz Sagrada” ou hieraticamente – A Terra de Luz. Por muitos anos (1971 a 1988) estive na Terra da Pedra da Cruz Sagrada, e nas vezes que conversei com Pai Matta, disse a ele que gostaria de ter um templo na praia, e ele me afirmou várias vezes que em futuro, com certeza, eu edificaria um.
Na época já conhecia a cidade do litoral sul paulista, Itanhaém, mas nem imaginava que lá, edificaria um templo que tenho-o como definitivo e que me possibilitará atender minha “comunidade” de forma a colaborar com a Espiritualidade em sua abrangência “full time”, algo que se fazia necessário há tempo.
Com uma comunidade de “filhos de santo” numerosa, só ela tomará meu tempo, mas espero ter forças físicas e espirituais para poder atender a todos que me procurarem. Sim, edificamos após 42 anos, com as “ordens e os direitos” de nosso “Espiritual”, A Casa Branca da Cura e do Destino.
Os tempos são outros, e Itanhaém, cuja tradução – “A Pedra que canta ou fala” e, ouso acrescentar, que encanta me relembra Itacuruçá, e sinceramente espero que seja não só na denominação, mas em realizações, mormente na cura e na retificação do destino, o que trará equilíbrio, estabilidade e harmonia nos âmbitos da saúde, do afetivo-emocional, do socioeconômico e, principalmente, do espiritual.
Tenho certeza que Itanhaém espiritualmente se ilumina ainda mais, pois na terra de “Pedra que fala”, de ITA que pode ser traduzida por Morada da Divindade, e NHAEM como língua, canto ou fala, teremos a TERRA DA MORADA DA DIVIINDADE QUE FALA que agora tem em sua geografia e no espiritual a “ Casa Branca de Cura e do Destino” ou  Ile funfun Awo Oshoogun.  Axé!

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 341

Nenhum comentário:

Postar um comentário