quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Religiões Afro-brasileiras - Do Movimento Umbandista à Umbanda



Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá 
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 334

Um comentário:

  1. Pai Rivas (Mestre Arhapiagha), como sempre nos presenteia com mais este belíssimo vídeo em que fala e aprofunda o conceito de Umbandas e mais ainda, nos enche de alegria quando relata a sua experiência e vivência de dezoito anos com seu Mestre, Pai e Amigo Mata e Silva (Mestre Yapacani). Ele nos diz de como honrou e honra o nome e à tradição a ele transmitida por Mestre Yapacani. Obrigado meu Pai por mais esta bênção de compartilhar conosco esta experiência viva exemplo vivo para todos.
    Gostaria também de levantar uma questão... tenho visto algumas pessoas publicando isso e aquilo do ilustre Mestre Yapacani, dizendo-se pertencer à Raiz de Vô Mata e profundo conhecedor de tudo que se relaciona a ele. Intitulam-se netos chamando-o até mesmo de Vô Mata. Tudo bem, respeito quem assim o diz e pensa, mas tenho uma pergunta que não quer calar, como eu posso dizer que sou neto se não o conheci pessoalmente e pior não sou nem filho do filho do Pai Mata, portanto meu pai? Como pode haver neto sem pai ? Pois o elo que liga neto e avô é o pai. Pior ainda é quando este “filho” desonra a tradição e pelo “pai” é expulso da Raiz, e agora...o que realmente esta pessoa é? Pra ser neto de verdade tem que honrar aquele que te liga ao seu avô o teu pai, por isso honro e honrarei o meu Mestre, meu Pai e meu Amigo, Pai Rivas (Mestre Arhapiagha) pois é somente por intermédio dele saberei quem foram meus ancestrais, quem é e foi meu Avô. Para que eu tenha uma Raiz e siga uma tradição preciso e precisarei sempre do meu Mestre, parte dele minha ancestralidade, portanto não sou e não seria nada sem meu Pai. Axé...Baba...Mi!

    ResponderExcluir