quinta-feira, 25 de outubro de 2012

I Simpósio "Ciência, Espiritualidade e Saúde" - Faculdade de Saúde Pública da USP

Religiões Afro-brasileiras
Espiritualidade promovendo saúde, neutralizando as desarmonias


Foi com este título de palestra que participamos do I Simpósio "Ciência, Espiritualidade e Saúde" - Faculdade de Saúde Pública da USP ao lado outros colegas médicos e sacerdotes de diferentes denominações religiosas. O evento foi marcado pela convivência pacífica de ideias diferentes, mas não desiguais discutindo o homem como uma unidade biopsicossocial.

Abaixo, segue o vídeo que registra a nossa contribuição para o Simpósio:





Não poderíamos encerrar esta publicação sem antes agradecer o convite feito pela USP. Também agradecemos à organização, aos colaboradores e todos os participantes deste importante evento para a Saúde Pública brasileira. Axé!


Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 299

Um comentário:

  1. Encontros inter-religiosos com uma agenda de temas de interesse coletivo tratados de forma interdisciplinar poderiam ser rotas para a construção de cultura de paz. Entendo que por meio deles seríamos capazes de re-estruturar axiologicamente nossa cidadania e assim resgatar, do campo da utopia para a práxis coletiva, a isonomia plena entre diferentes, em outras palavras, a unidade das diversidades. Utilizei a palavra “rota” como caminho porque acredito que isto só possa ser realizado como processo e, portanto, como prática social reiterada.

    Aprendizado é a palavra que resume o meu sentimento diante daquele encontro. Esclareço: algumas vezes coloquei-me mentalmente na posição de confrontação diante de algumas vocalizações de caráter etnocêntrico, posturas midiáticas claramente coreografadas, quando não fracamente proselitistas ou politicamente conservadoras (“à direita”). Entretanto, foi possível observar que a polarização, o enfrentamento e o confronto não são as verdadeiras vias de acesso para a construção do diálogo. A sabedoria, que não é impostura, nem tão pouco estalão de princípios morais rígidos ou de humor carrancudo, se mostrou como caminho verdadeiro na busca de consensos e transcendência de conflitos. As religiões Afro-Brasileiras, representadas ali por Pai Rivas, demonstraram esta via.

    Paô para o Povo de Santo e para todos aqueles que se ocupam em construir um mundo feliz e verdadeiro!

    Axé, Babá mi!
    Aratish

    ResponderExcluir