segunda-feira, 16 de julho de 2012

FTU NO XXV CONGRESSO INTERNACIONAL DA SOCIEDADE DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS DA RELIGIÃO (SOTER): DANDO VOZ AO POVO DE SANTO



Recentemente disponibilizamos texto de nosso filho espiritual João Luiz Carneiro sobre a divulgação dos dados do censo 2010. Neste último censo as religiões afro-brasileiras não perderam número de adeptos pela primeira vez em todos os recenseamentos, fato bastante inovador. Na ocasião nosso filho espiritual apresentou a hipótese de que a Faculdade de Teologia Umbandista possibilitou que muitos filhos espirituais que antes não denominavam-se de umbandistas, pudessem se afirmar sem “medo” do preconceito.
Seguindo esse caminho aproveitamos essa publicação para relatar a presença de três teólogas com ênfase nas religiões afro-brasileiras no XXV Congresso Internacional da SOTER – Sociedade de Teologia e Ciências da Religião que ocorreu na PUC-BH, pessoas que além de profissionalizarem-se teólogas estão disseminando a epistemologia afro-brasileira, abrindo espaço para este campo teológico.
As teólogas foram apresentar trabalhos acadêmicos sobre o universo afro-brasileiro em um campo “tradicionalmente” cristão. Além de divulgarem seus trabalhos acadêmicos elas passaram dois dias em um retiro católico. Muitas pessoas ficaram extremamente felizes pela presença das teólogas afro-brasileiras neste evento, como foi o caso da Profª Dra Sandra Duarte da UMESP-SP, cuja fala em um dos GTs incentivou a participação de outras confessionalidades e, principalmente, a divulgação das experiências religiosas alheias.
A Faculdade de Teologia Umbandista tem várias funções. Uma delas, sem dúvida, foi ter possibilitado que os adeptos das religiões afro-brasileiras se afirmassem como tal, já que uma instituição de ensino superior credenciada pelo Ministério da Educação é algo que inspira respeito e legitimidade. Aliás, antes mesmo da FTU, os terreiros tinham legitimidade e legalidade, mas uma instituição de ensino superior dá respaldo e força aos seus praticantes.
Aproveitamos para esclarecer que a Faculdade de Teologia Umbandista possibilita a união dos terreiros, dá força às religiões afro-brasileiras e nunca teve o caráter de elitizar ou criar um grupo seleto de pensamento afro-brasileiro. O mote da FTU, desde sua criação, foi a de dar voz e vez a todos os adeptos das religiões afro-brasileiras, garantindo sua isonomia religiosa.
Esperamos que nos próximos censos mais pessoas sintam-se abertas e confortáveis para dizerem-se afro-brasileiras, independente de qual Escola façam parte. E também que vários amigos que ainda não conheçam a FTU venham conhecê-la, será um prazer!Axé!

 Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 270

Nenhum comentário:

Postar um comentário