segunda-feira, 11 de junho de 2012

TRADIÇÃO MANIFESTADA NO LIVRO:

Escolas das Religiões Afro-brasileiras – Tradição Oral e Diversidade

No último dia 01 de junho nosso livro Escolas das Religiões Afro-brasileiras – Tradição Oral e Diversidade foi lançado pela Arché Editora no Palácio do Centro Histórico da cidade de São Luís do Maranhão.
Tivemos a honra de lançar o livro junto com outras obras escolhidas pela Comissão Científica da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR). Esta associação realizou na Universidade Federal do Maranhão entre os dias 28 e 02 de junho o XIII Simpósio Nacional “Carisma e poder: as formas da vida religiosa no Brasil” apresentando discussões sobre religiões, poder, diversidade, etnicidade entre outras.
Alguns professores da Faculdade de Teologia Umbandista também marcaram presença apresentando trabalhos científicos que foram resultados de seus esforços em defender, divulgar e discutir a Teologia das Religiões Afro-brasileiras na academia. Ficamos muito contentes em saber que acadêmicos de várias universidades do país já conheciam a FTU e gostariam de participar das nossas discussões, que não são “nossas”, mas de toda a comunidade brasileira, acadêmica, religiosa e civil como um todo.
Escolas das Religiões Afro-brasileiras – Tradição Oral e Diversidade - é uma coletânea de textos escolhidos escritos ao longo de alguns anos de observação e práticas de terreiro. Foi então, a partir da nossa vivência de terreiro (que agrega ampla gama de rituais de matriz africana, ameríndia e indo-europeia) e observando atentamente todos os processos a ela ligados (espirituais, culturais, sociais, psíquicos) que sentimos a necessidade de sistematizar (não engessar) em um conceito o que encontramos nas religiões afro-brasileiras.
A abordagem do conceito de Escolas valoriza todas as múltiplas formas de se vivenciar e praticar as religiões afro-brasileiras. “Escola” pressupõe fundamentos que são transmitidos de pai/mãe espiritual para filho(a) de santo em uma relação de oralidade e de experiências vivenciadas, não adquiridas em livros técnicos. O “conhecimento de santo” só existe vivenciando-o, respirando e trocando o axé em sua comunidade. Mas só isto não define uma Escola. É preciso, portanto, uma Epistemologia (um corpo de fundamentos), um Método (a abordagem ritual escolhida) e uma Ética (forma de vivenciar a Tradição).
Claro que o livro não esgota a temática em torno do conceito de Escolas das Religiões Afro-brasileiras, ao contrário, foi a primeira de outras obras que esperamos lançar que enfatiza e valoriza a diversidade das práticas rituais afro-brasileiras. Nosso próximo trabalho é sobre Etnomedicina nas Religiões Afro-brasileiras, cujo conteúdo pretende apresentar a relação entre Mente – Sagrado – Espiritualidade – Cura  e Autocura. Axé!
Os livros lançados em São Luís foram esgotados. A primeira reimpressão já se encontra no prelo e, em breve, anunciaremos no blog o local e data do lançamento em São Paulo. Aos seguidores e amigos do blog que desejarem reservar seu livro disponibilizamos o email abaixo como forma de estabelecer um canal com a editora:

"Escolas das Religiões Afro-brasileiras - Tradição Oral ... on Twitpic


Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 260

Nenhum comentário:

Postar um comentário