segunda-feira, 18 de abril de 2011

Religiões Afro-brasileiras – Abordagem das doenças humanas - Doenças provocadas pela atuação e atração espiríticas

Resumo

Nas Religiões Afro-brasileiras a Medicina Integrativa ou de Síntese preconiza que a personalidade é a expressão do “Eu Superior” – o Ser Espiritual. É manifestada por meio de três organismos dimensionais diferentes. Além das diferenças vibracionais e estruturais, há também as funcionais.

Após estas ligeiras incursões introdutórias na Psique Humana, vejamos como o indivíduo pode atrair sobre si mesmo a influência ou atuação de outra consciência, de outro indivíduo e isto produzir doenças várias, ser causa de enfermidades.

Pensamentos desequilibrados, sentimentos instáveis e ações desarmônicas são a base para o rebaixamento vibratório da freqüência aurânica, que por si só produz doenças, o que é ainda mais agravado pela atração e atuação de seres espirituais que vibram nas freqüências mais baixas da vida, que por sintonia se comprazem de estranha e insólita amizade morbosa.

Palavras-chave: Atuação espirítica, Doença, Inconsciente, Organismos, Religiões Afro-brasileiras.

Abstract

In Afro-Brazilian Religions, the Integrative Medicine or Synthesis , personality is the expression of the “Higher Self” – the Spiritual Being. It is manifested through three different dimensional bodies. In addition to the Vibrational and structural differences, there are also functional.

After these introductory introductions into the human psyche, let's see how the individual may draw upon himself the role or influence of another consciousness, another individual, and this produces many diseases, be the cause of illnesses.

Unbalanced thoughts, unstable feelings and inharmonious actions are the basis for lowering the vibrational frequency of the aura, which alone produces disease, which is further aggravated by the attraction and activity of spiritual beings that vibrate at lower frequencies of life, which tuning delights of strange and unusual friendship.

Keywords: Spiritistic performance, Illness, Unconscious, Bodies, Afro-Brazilians Religions.

RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS – ABORDAGEM DAS DOENÇAS HUMANAS

DOENÇAS PROVOCADAS PELA ATUAÇÃO E ATRAÇÃO ESPIRÍTICAS

A etiologia das doenças provocadas pela atuação de seres espirituais será compreendida se explicarmos superficialmente o Inconsciente Coletivo e o Inconsciente Individual.

Nas Religiões Afro-brasileiras a Medicina Integrativa ou de Síntese preconiza que a personalidade é a expressão do “Eu Superior” – o Ser Espiritual. É manifestada por meio de três organismos dimensionais diferentes. Além das diferenças vibracionais e estruturais, há também as funcionais.

Esses três organismos manifestam na personalidade os seguintes processos:


A tripartição do Ser Espiritual na personalidade de forma inequívoca demonstra a quebra da unidade. A personalidade, de forma trina, é “fragmentada”. Em outros textos discutiremos que a triunidade da personalidade pode permitir polarizações, isto é, um dos organismos pode prevalecer sobre os dois.

Assim, há personalidades intelectivas (polarizadas no Organismo Mental), emotivas (polarizadas no Organismo Astral) e finalmente as instintivas (polarizadas no Organismo Etéreo-físico). O que realmente acontece, segundo o fundamento sacerdotal, é a carência do axé. É necessário dar de "comer" à cabeça (bori) e harmonizar o bara orun. Antes, porém, faz-se mister dar o ebó e os procedimentos subsequentes, após os vaticinios de Orunmila Ifá.

Razão, Sentimento e Instinto são a trindade da personalidade que, na dependência da polarização, pode ser a origem de várias doenças como veremos em futuros textos.

Como estávamos tentando explicar sobre o Inconsciente, a Ciência Acadêmica explicita que a esfera psíquica (psiquismo-psique) é tríplice: Inconsciente, pré-conciente e consciente. (vide publicação 07 de 01 de fevereiro de 2010).

O Inconsciente atua na conduta do indivíduo, mas escapa da Consciência, não podendo ser trazido por nenhum esforço de vontade ou memória; mas pode aflorar nos sonhos, na livre associação, nos atos falhos e nos transtornos oriundos das neuroses ou psicoses (atuação de eguns, quiumbas, ajés, arajés, que podem desencadear o processo).

O pré-consciente é o conjunto de fatores e processos latentes no indivíduo; influencia a conduta e pode facilmente aflorar ao Consciente. As tendências, os hábitos, lembranças e conhecimentos fazem parte do mesmo.

O Consciente é o conjunto de processos e fatores psíquicos do qual temos consciência e nos utilizamos em estado de vigília.

Na dependência do grau de maturidade espiritual, haverá indivíduos com maior ou menor grau de percepção de si mesmo e do mundo objetivo. Quanto maior o grau de percepção ou de consciência, maior o autoconhecimento, sendo verdadeira a recíproca.

Igualmente, amplia sua consciência o indivíduo que se aprofunda na raiz de si mesmo, isto é, penetra no seu inconsciente (indiferenciado). Quanto mais penetra no inconsciente, maior sua consciência. Sim, o que era oculto tornou-se revelado. Portanto, penetrar no inconsciente é tornar-se mais consciente por intermédio da decodificação e tradução do conteúdo do inconsciente.

Aquele que por meio do método próprio das religiões afro-brasileiras consegue penetrar no cerne do inconsciente, penetra no nível de consciência que denominamos Supra-Consciente.

Se apontarmos no “eixo do tempo” os níveis de consciência aludidos, teremos o inconsciente no “passado”, o consciente no “presente” e o supra-consciente no "futuro".



Desta forma “linear” não há contato entre os “três tempos”; há uma completa dissociação, não há interação, sendo assim para a maioria dos Seres Humanos.

Se o esquema linear transformar-se em circular ou em espiral, teremos o passado reunido ao futuro (o Inconsciente é a origem do Supra-Consciente, isto é, a Essência, o Espírito está na origem de tudo).

Passado e futuro são reunidos harmonicamente, significando que a consciência Espiritual é total, plena, atemporal e adimensional.

Extrapolando, o Inconsciente Coletivo não é diverso do Inconsciente Individual, pois tal qual o caráter genético obedeceu a um processo evolutivo, mas guardando as marcas de início e transmitindo-se a todos os descendentes dos “Pais Primevos”, o mesmo acontece com o Inconsciente Coletivo, que repete os fatores, atos e vivenciais desde o início da humanidade, fenômeno que Carl Gustav Jung denominou de arquétipo.

Há total correspondência entre Inconsciente Individual e Inconsciente Coletivo, sendo que o individual tem forte valência do coletivo, que se apresenta segundo o filtro próprio a cada indivíduo.

Após estas ligeiras incursões introdutórias na Psique Humana, vejamos como o indivíduo pode atrair sobre si mesmo a influência ou atuação de outra consciência, de outro indivíduo e isto produzir doenças várias, ser causa de enfermidades (osogbo arun).

Antes de prosseguir, reiteramos que ao se manifestar, as doenças não estão somente na esfera psíquica, mas também na esfera somática, enfim, no indivíduo como um todo.

Mas como um indivíduo pode influenciar outro indivíduo e acarretar-lhe doenças?

No mundo atual há várias formas nas mais diversas condições, mas para nossas discussões preliminares dividamos, para facilitar o entendimento, em duas condições:

Primeira condição:

O Ser Espiritual encarnado sofre a influência negativa de um Ser Espiritual desencarnado.

Segunda condição:

O Ser Espiritual encarnado sofre a influência negativa de outro Ser Espiritual encarnado.

Embora não tenhamos citado, é muito freqüente o indivíduo sofrer influências negativas oriundas de sua própria conduta mental, afetiva ou emocional e instintiva ou por seus próprios atos.

Como afirmamos, são várias as condições de atração e atuação que produzem doenças e é obvio não citaremos todas, pois seria impossível dissecar as infinitas possibilidades, todavia demonstraremos o mecanismo básico, pedra angular de todos os matizes.

Independente de a condição ser a primeira ou a segunda, tudo está na dependência do enfraquecimento da Aura Total (esgotamento ou carência de axé).

Aura Total é a emanação ou exteriorização energética dos três veículos da Consciência. Assim sendo, a Aura externa é relativa aos processos vitais do Organismo Físico. A Aura intermediaria é relativa ao Organismo Astral e, finalmente, a Aura Interna é relativa ao Organismo Mental.

A Aura Total, além de ser uma quantificadora do índice energético é fiel demonstrativo do estado de higidez ou doença de vários organismos; é também escudo (de defesa) contra influências externas.

O Organismo Físico, por meio da Aura Externa, reconhece seu Corpo Astral, não permitindo que outros “Corpos Astrais estranhos” dele se aproximem, a não ser quando o outro “Corpo Astral” é de um Ser Espiritual autorizado a compartilhar vivências e experiências (mediunidade).

Como exemplo citamos a canalização espiritual ou mediunidade, aceita por várias Escolas Filosóficas de Tradição do passado e do presente.

Também é exemplo a afinidade positiva entre dois seres que se amam e permutam vibrações dimensionais, as quais revitalizam positivamente todo o complexo mento-astro-físico, proporcionando-lhes equilíbrio, estabilidade e harmonia espiritual, mental, física e social.

Além desses aspectos positivos, em que também houve atração e atuação vibracional com plena aquiescência do “receptor vibratório” há as que se dão sem a devida aquiescência, ocorrendo de forma violenta, contundente, provocando traumas no psicossomatismo, o que em geral se consolida em doenças completamente desconhecidas pela Medicina Oficial ou Acadêmica.

Há verdadeiro vilipêndio, parasitismo, vampirismo das energias vitais, levando a vítima às mais variadas doenças, desde as simples distonias neurovegetativas a complexas síndromes auto-imunes, que são explicadas pela influência de outra aura que não a do próprio indivíduo e por permitir o trânsito de vivências passadas para o presente, numa espécie de erupção de forma abrupta do inconsciente para o consciente.

Muitas das neuroses, psicoses e outras intrincadas enfermidades mentais têm essa explicação.

Como estamos introduzindo, deixaremos para os próximos textos, o aprofundamento onde dissertaremos a gênese de várias enfermidades que atualmente são rotuladas de idiopáticas.

Encerrando, é de bom alvitre atentar ao fato de que citamos influências que ocasionam doenças, independente dos algozes serem seres espirituais astralizados ou encarnados.

O indivíduo que permite de forma inconsciente esta atuação com certeza é responsável, pois se estivesse atento à vida, vivendo-a plenamente de forma a não suscitar a presença de seres contrários, encarnados ou desencarnados, não estaria sujeito a tais infortúnios (carência de axé).

Pensamentos desequilibrados, sentimentos instáveis e ações desarmônicas são a base para o rebaixamento vibratório da freqüência aurânica, que por si só produz doenças, o que é ainda mais agravado pela atração e atuação de seres espirituais que vibram nas freqüências mais baixas da vida, que por sintonia se comprazem de estranha e insólita amizade morbosa. Esperamos que todos tenham tido uma boa leitura. Axé!

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 138

Um comentário:

  1. Existe uma forma de impedir esses transtornos que atrai espíritos baixos e enfraquece a aura? Tem alguma técnica que pode ser seguida pra que isso não aconteça? Digo técnica porque num momento de fraqueza e desespero não se segue nenhuma orientação.E quando se percebe que o ataque vem atraves de outra pessoa?

    ResponderExcluir