segunda-feira, 11 de abril de 2011

As Religiões Afro-brasileiras lamentam o etnocentrismo e demais enganos


RESUMO

O Saber Religioso faz a interface com o Saber Acadêmico (do livro que deve ser respeitado). A outra vertente é a das crenças, rituais ou experiência-vivenciada, fazendo a conexão com a religião. Este foi o primeiro tema que abordamos no vídeo disponibilizado no final deste sumário

O segundo foi à infeliz declaração de um pastor neopentecostal, que também é deputado federal (que deveria legislar pelo e com o povo) que afirmou que todos os problemas e embaraços da África são devidos à Maldição Divina, algo preconceituoso e descontextualizado da uma cultura de paz e cooperação entre os povos. Seu exemplo eugênico e etnocêntrico deve ser um sinal de alerta no ensino da Teologia e pregação religiosa.

O terceiro foi a ignóbil violência à sociedade brasileira, a mais de uma dezena de crianças que foram mortas por um infeliz franco atirador, ativista de seita fundamentalista e que fez grassar o terror, o bizarro e como corolário a morte homicida e suicida. Será esta a proposta das seitas? São necessárias as seitas? Quantos que dizem propagar uma religião e em verdade estão engendrando uma seita?

Palavras-chave: Africa, Etnocentrismo, Religiões Afro-brasileiras, Seitas, Teologia

ABSTRACT

Religious knowledge interfaces with academic knowledge (the book that should be respected). The other aspect is the beliefs, rituals, or experience-lived, making the connection with religion. This was the first topic we discussed in the video available in the end of this summary.

The second was the unfortunate statement from a pentecostal pastor, who is also a federal deputy (who should legislate for and with people) who said that all the problems and embarrassments of Africa are due to divine curse, something full of prejudice and decontextualized from a peace culture and cooperation among peoples. His ethnocentric and eugenic example should be a warning sign in the teaching of Theology and religious preaching.

The third was the ignoble violence to Brazilian society, more than a dozen children who were killed by an unhappy sniper, an activist of a fundamentalist sect that made
​​the terror rage, the bizarre and as a corollary, the homicidal death and suicidal. Is this the proposal of the sects? Sects are needed? How many who say they propagate a religion and, in the truth, are engendering a cult?

Keywords: Africa, Ethnocentrism, Afro-Brazilian Religions, Cults, Theology

AS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS LAMENTAM O ETNOCENTRISMO E DEMAIS ENGANOS

As religiões Afro-Brasileiras tem se destacado na sociedade por sua forma de permitir a inclusão de todos, inclusive do indivíduo consigo mesmo.

Na área da Educação tem inovado com a fundação e consolidação da FTU, uma forma paradigmática de inclusão da oralidade (Tradição oral) tida pelo próprio MEC como um modelo a ser seguido, pois de forma inédita tem aproximado o Saber Acadêmico (racional) da experiência ou vivência templária religiosa.

São as vertentes da Teologia propugnada pela FTU. O Saber Religioso faz a interface com o Saber Acadêmico (do livro que deve ser respeitado). A outra vertente é a das crenças, rituais ou experiência-vivenciada, fazendo a conexão com a religião.

Este foi o primeiro tema que abordamos no vídeo disponibilizado no final deste sumário

O segundo foi à infeliz declaração de um pastor neopentecostal, que também é deputado federal (que deveria legislar pelo e com o povo) que afirmou que todos os problemas e embaraços da África são devidos à Maldição Divina, algo preconceituoso e descontextualizado da uma cultura de paz e cooperação entre os povos. Seu exemplo eugênico e etnocêntrico deve ser um sinal de alerta no ensino da Teologia e pregação religiosa.

O terceiro foi a ignóbil violência à sociedade brasileira, a mais de uma dezena de crianças que foram mortas por um infeliz franco atirador, ativista de seita fundamentalista e que fez grassar o terror, o bizarro e como corolário a morte homicida e suicida. Será esta a proposta das seitas? São necessárias as seitas? Quantos que dizem propagar uma religião e em verdade estão engendrando uma seita?

Na mesma esteira de indagações tentemos responder a alguns interlocutores que perguntaram se estávamos fazendo releituras sobre os Orixás, pois afirmáramos que a Tradição permitia mudanças ou releituras. Sim, releituras organizacionais, mas não estruturais. Para nós Orixá é estruturante. Temo-lo como anterior à formação do universo (Cosmogênese) o famoso t0 dos físicos, portanto, como Seres Divinos (Pais Divinos) responsáveis pela manutenção do Cosmos, e pelo destino dos Seres humanos como individuo e de toda a humanidade.

Estes são os temas discutidos no vídeo que segue esta publicação, o qual esperamos, contribuir para facilitar o entendimento do que expusemos, e também proporcionar clareza e lucidez em temas tão ácidos e agudos nesse tempo de pós-modernidade. Como religioso, e acima de tudo como ser humano, esperamos de forma ativa, a construção de novos tempos, onde prevaleçam além da razão e bom senso, a religião, a Teologia que consiga reunir e remir o homem com o Divino e consigo mesmo. Axé!




Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 136

Nenhum comentário:

Postar um comentário