quinta-feira, 3 de março de 2011

Iniciação, Sinônimo de Responsabilidade


A Iniciação é uma bênção quando estamos preparados para ela, liberta nossa mente de muitos devaneios; porém, quanto mais nos aprofundamos na Iniciação, mais responsabilidade assumimos perante a Lei Kármica e perante a comunidade planetária.

Ao pleitearmos graus dentro da Iniciação também pleiteamos responsabilidade e quanto maior o grau, maior o compromisso.

Imaginemos um estádio de futebol completamente lotado, onde milhares de pessoas se reúnem para um jogo e um destes espectadores resolve ir até o centro do campo e lá sentar-se; com certeza toda a atenção irá se voltar para ele, mesmo que sua intenção não seja essa. As pessoas ali reunidas estarão observando o indivíduo e todas as atitudes que ele tomar estará influenciando em maior ou menor porcentagem cada espectador.

Muito bem, a pessoa que se dirigiu ao centro do campo foi por livre e espontânea vontade. Foi causando um certo furor no público que a priori era pequeno, pois quando iniciou sua caminhada apenas alguns o observavam, aqueles que se encontravam próximos. Mas de acordo com que foi se destacando da massa indo à margem do campo, o número de observadores foi aumentando mais e mais, de cem passou a mil, de mil a milhares, até atingir o ponto central do campo e chamar a atenção de todos.

A pessoa em destaque é um Iniciado que, desejando ou não, estará em evidência, mesmo que ninguém a sua volta seja consciente disto. Mas com certeza os tribunais kármicos o serão. Suas atitudes passarão a ser de maior penetração no meio (planeta) e tudo que ocasionar em decorrência de suas atitudes com certeza será tributado sobre si, tanto as positivas como as negativas; porém, como é um ser consciente de sua condição de espírito, toda vez que falhar em relação a esta verdade lhe será atribuído um ônus maior que o das pessoas comuns, não iniciados.

As milhares de mentes que o estão observando dependem de suas atitudes para mudar a rota de suas vidas. As atitudes de um Iniciado têm peso redobrado.

Cuidado, meus irmãos Iniciados, pois a vocês foi perguntado se desejavam penetrar na Iniciação, ninguém os obrigou, e a partir deste dia estão sob um tribunal rigoroso, o da própria consciência.

Ser Iniciado não é mero título, é uma condição de responsabilidade e, se vencer em tal circunstancia os milhares que o observam e dependem de você vencerão e será considerado um ser vitorioso; se falhar será responsável por milhares de falências além da sua própria.

Este é o famoso axioma: rolar os degraus da Iniciação. Penetrar os planos dos falidos não é fácil!

Cada degrau da Iniciação que se galga, mais amigos terá; porém lutamos contra a ignorância (visão distorcida da realidade), mas milhares de mentes ainda se encontram arraigadas a ela e não desejam que seja desconstruída; isto fará com que também ganhe inimigos que, mesmo sem conhecê-los, lutarão para que falhe em sua empreitada.

Nenhum Mestre promete apenas belos momentos após a Iniciação, nos compromete com a liberdade de sermos apenas espíritos sem a escravidão da ilusão, só que matar monstros que nós mesmos criamos e alimentamos é difícil e dolorido.

Pense, reflita se está preparado para a Iniciação ou se deseja apenas enaltecer seu ego com títulos.

Desejar é poder; porém, tenha cuidado com o que deseja e se pergunte se pode desejar, pois se desejar algo para o qual não está preparado pode criar sua autodestruição em vez de seu autoconhecimento.

Termino minha pequena obra com um alerta, pois a Iniciação liberta as mentes que estão se fortalecendo e destrói as mentes fracas que acham ser a Iniciação um mero brinquedo.

A todos, Iniciados ou não, meus sinceros votos de luz na mente e paz no coração.

Aranauan, Saravá,

Yamaracyê

Fonte: RIVAS, Maria Elise G. B. M (Sacerdotisa Yamaracyê). Teologia Umbandista – O Mestre Iluminando Consciências ; São Paulo:Ícone, 2002.

P.S. Nesta mesma publicação disponibilizaremos o vídeo “Finalidades da Teologia na sociedade”.






Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 125

Um comentário:

  1. Bênção meu pai, meu Mestre!

    Muitos se perguntam: o que é a Iniciação?
    Eu mesma me questionei muitas vezes.
    Ao olhar parte do 3º ato da ópera "As Walkírias", de R. Wagner, pensei sobre esta minha constante indagação.
    O que mais me marcou não foi a origem do drama, mas sim o que consegui "traduzir" nas subliminares desta obra – a relação entre uma filha e seu pai. No caso, a semideusa Walkíria (Brunhilde) e seu pai, Wotan, Deus, que, irado com a atitude de sua filha, a faz passar por uma prova, tendo seu "destino" cunhado.
    Wotan a condena a ficar "adormecida", protegida por uma cortina de fogo, o qual somente poderá ser transposto por alguém que "não saiba o que é o medo" (o que leva a outra parte desse mito).
    É neste instante que vi um paralelo com a Iniciação.
    Subjetivamente, o que se percebe é o amor da Walquíria pelo outro, que a fez confrontar seu pai. Também o amor do pai por sua filha, que, sabe ser necessário "mostrar" o caminho, fazendo-a passar por uma prova, que a fará vivenciar, "enxergar" outras coisas.

    É aí que a Iniciação começa – o vivenciar, o crescer, o fazer escolhas, a busca pelo Bem maior.
    Assim, mesmo que muitas vezes o Iniciado não consiga ainda "enxergar" a razão do por quê de certas atitudes de seu Mestre, um dia, quando já tiver amadurecido, se modificado, ter aberto sua mente – irá perceber a verdadeira razão de certas atitudes de seu "pai", que é o amor – incondicional.

    Obrigada meu pai, meu Mestre por estar entre nós, por nos nortear, mostrar um caminho - caminho de luz.
    Sua filha, discípula.

    Bênção!
    Fatima Desombergh

    ResponderExcluir