quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Pai Matta e Silva – O Arauto da Umbanda

Em meados de 1987 enviamos à apreciação de Pai Matta a obra “Umbanda – A Proto-síntese Cósmica”. Também enviamos “Umbanda – Luz na Eternidade”, que assim como a outra obra citada havia sido “ditada” pela mesma entidade espiritual – Caboclo 7 Espadas.

“Umbanda – A Proto-síntese Cósmica” foi um marco pois no universo das Religiões Afro-brasileiras foi a primeira obra psicografada, tanto que, nosso Mestre Espiritual – Pai Matta (Mestre Yapacany) afirmou ser a “Proto-síntese” um bastião para a Umbanda. Disse que estava muito feliz em saber que suas obras, em especial “Umbanda de Todos Nós”, iria continuar e seriam desdobradas, pois os tempos eram chegados e maiores esclarecimentos eram inadiáveis.


Pai Matta, um dos mais completos clarividentes havia vaticinado que a “Proto-síntese” rapidamente alcançaria vários milhares de exemplares, o que realmente aconteceu, pois estamos na 12ª edição deste que é considerado pela comunidade umbandista um grande clássico.


Desde seu lançamento em 1989 foi responsável por uma profunda mudança na visão que havia de Umbanda, tanto pelos próprios umbandistas, que encontraram sustentação doutrinária e filosófica capaz de graçá-los no caminho espiritual, quanto pelos não umbandistas filósofos, cientistas, religiosos e artistas que se sentiram cativados pela universalidade expressa nesta obra.

A obra, desde a 7ª edição é editada pela Editora Pensamento, estando na atualidade, em 2011 na 12ª edição.

No ensejo da 12ª edição de “Umbanda – A Proto-síntese cósmica” queremos homenagear meu mestre, meu pai, meu amigo (Pai Matta) publicando seu prefácio, sim tive a honra de tê-lo como prefaciador. Fez da obra, além de seus reconhecidos fundamentos transmitidos pelo Caboclo 7 Espadas, um grande diferencial.

Agradecemos ao Astral Superior a honra de me permitir ser iniciado pelo maior mestre de Iniciação de de todos os tempos, após convivência iniciática de 18 anos. Fui por ele iniciado em 1978, como Mestre de Iniciação de 7º Grau, no grau de mago. Em 1987 transmitiu-me a Raiz da Escola. Hoje como detentor da Raiz de Pai Matta (Pai Guiné) desdobramos conceitos como ele mesmo predisse, afirmando ser algo inadiável.

Sem mais delongas entregaremos a todos para que possam refletir as palavras de Pai Matta, da qual tive a honra e mérito de ser seu discípulo e filho espiritual. Sua benção, Pai Matta! Axé!

PREFACIANDO

Sim, Caboclo pede licença aos poderes das divindades, ou seja, aos Orishas Superiores, para expressar para a coletividade umbandista as verdades, ou melhor, levantar um pouco do véu dos arcanos, para reafirmar ou mesmo revelar muitas coisas que fazem o mistério da vida deste mundo e do outro.

Esses ensinamentos que o leitor vai encontrar nesta obra transmitidos por intermédio dos canais mediúnicos de F. Rivas Neto, filho do meu “Santé”, ou seja, coroado em nosso Santuário de Itacuruçá. Ele é um Mestre de Iniciação de 7º Grau, no grau de mago, e com a outorga do Astral Superior de promover a Iniciação de seus médiuns.

Assim, desejamos que o leitor consciente de que esse “Caboclo” (Entidade Espiritual que usa a roupagem fluídica de índio), que pede agô (licença) para transmitir o que vai transmitir, traz ensinamentos da doutrina esotérica da Umbanda.

Quando qualificamos de Umbanda Esotérica, queremos que fique bem claro que ela não tem nada em comum com o “Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento”.

É só o leitor abrir um dicionário e verificar o que significam os termos esotérico e exotérico, que são coisas internas e externas, respectivamente.

Assim é que, como Umbanda em seus aspectos externos, entendemos os rituais que são produzidos pelos atabaques ou palmas, quer seja nos terreiros, praias, cachoeiras, etc., alimentados por crenças e crendices e superstições, sem querermos apontar diretamente para o animismo vicioso que pode se manifestar nesses setores ditos dos cultos afro-brasileiros.

Então, “Caboclo” vem através de seu médium autenticar os ensinamentos mais límpidos, que são eternais ou de todas as escoas esotéricas ou filosóficas de conceito de antiguidade.

Assim é que ele fala primeiro da Divindade Suprema sem que com isso queira defini-la, e rasga os véus de certos mistérios que eventualmente foram ditos muito por alto em obras de outros autores conceituados. Assim é que fala do Além, isto é, “do outro lado da vida”, das vivências grosseiras que existem e aguardam os Seres Espirituais imprevidentes que se mancharam de vícios, egoísmos, ódios, ambições, luxúria, e que são imediatamente atraídos para campos de teor vibratório de energias degradantes e morbosas após o desencarne. Eles são reconhecidos devido ao aura de seus corpos espirituais, ou seja, pela cor vibratória que modela suas características psicoastrais.

Esta obra é de certa forma um pouco contudente, porque revela conceitos que podemos chamar até de inéditos.

Em Umbanda – A Proto-síntese Cósmica o leitor vai verificar como essa entidade fala das 7 fases da Umbanda no Brasil, como tem um ensinamento muito preciso sobre os Exus, como aborda a questão do desencarne, etc. Caboclo 7 Espadas, que é como se identifica essa Entidade, fala com muita propriedade da ancestralidade da Umbanda, vindo até a comprovar a sua origem da Raça Vermelha, em pleno solo brasileiro. Faz o mesmo com a origem do termo Exu, coordenação precisa de termos que sofreram ligeiras alterações semânticas mas que no fundo são a mesma coisa.

Inumeráveis leitores de nossas obras vão encontrar semelhanças no que escrevemos e no que está nesta obra.

Evidentemente, a verdade não são duas, é uma só. Uns alcançam-na até certo ponto e outros ainda vão além, dentro de sua relatividade.

Finalizando este prefácio, queremos dizer aos nossos leitores que nos sentimos até certo ponto envaidecido com que Umbanda – A Proto-síntese Cósmica ensina.

Portanto, leia-o leitor, atentamente, porque vai ficar plenamente satisfeito.

MESTRE YAPACANY

Woodrow Wilson da Matta e Silva

Itacuruçá, 18 de dezembro de 1987.

Na 4ª capa do livro “Umbanda – A Proto-síntese Cósmica” há vários créditos, deles selecionei o de Roger Feraudy.

“Se tivéssemos que sintetizar nossa visão sobre Umbanda – A Proto-síntese Cósmica, diríamos que é uma obra definitiva, seus conceitos transcendem a visão dos adeptos, dos acadêmicos e mesmo da maioria dos sacerdotes, revelando uma doutrina cuja consistência sequer é imaginada”

Roger Feraudy – saudoso e antigo amigo era odontólogo, ensaísta, compositor da MPB, renomado escritor e poeta. Profundo conhecedor da Umbanda em seus aspectos teórico-práticos. Sacerdote que escreveu várias obras umbandistas de alta relevância para o movimento.

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 113

Nenhum comentário:

Postar um comentário