segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A História do livro Exu – O Grande Arcano

RESUMO

Nos idos de 1993, portanto há dezessete anos, a pedido do Exu Sr... em nós manifestado, o “escriba” reuniu em gravação, durante dois meses (uma vez por semana), os capítulos que deram origem ao livro, Exu – o grande arcano. Essa obra documenta de forma fidedigna aspectos, até então, inéditos sobre a alta magia de Exu, sua “kabala” e seus mais lídimos fundamentos.

Nos vários capítulos e tópicos desse compêndio encontramos aspectos inéditos sobre o significado da magia e missão de Exu – o Agente da Magia e da Justiça Kármica.

Após os excertos, o assíduo e atento leitor deve estar questionando: por que o Rivas Neto está comentando a obra que estava na 3ª edição, e depois de esgotada não mais foi editada? É verdade, está esgotada há mais de 7 anos, e como disse o Exu Sr... terminou a fase probatória, portanto mais uma reedição à vista.

Palavras-Chave: Exu O Grande Arcano, História, Iniciação, Livro, Terreiro

ABSTRACT

Back in 1993, seventeen years ago, requested by Exu Mr… manifested in us, the "scribe" recorded for two months (once a week) the chapters that gave rise to the book “Exu - the great secret”. This work documents unpublished aspects about the high magic of Exu, his "kabala" ans his authentic foundations.

In the various chapters and topics of this compendium we find new aspects about the meaning of magic and mission of Exu - Agent of Justice and Karmic Magic.

After the excerpts, the diligent and attentive reader should be asking: why Rivas Neto is commenting about a work that was in the 3rd edition and once sold out no more was edited? That’s true, it is dead for over 7 years, and as said the Exu Mr. ... evidentiary phase ended, so another rematch in sight.

Keywords: Exu The Great Secret, History, Initiation, Book, Temple

A HISTÓRIA DO LIVRO EXU – O GRANDE ARCANO

Nos idos de 1993, portanto há dezessete anos, a pedido do Exu Sr... em nós manifestado, o “escriba” reuniu em gravação, durante dois meses (uma vez por semana), os capítulos que deram origem ao livro, Exu – o grande arcano.

Essa obra documenta de forma fidedigna aspectos, até então, inéditos sobre a alta magia de Exu, sua “kabala” e seus mais lídimos fundamentos.

Nos vários capítulos e tópicos desse compêndio encontramos aspectos inéditos sobre o significado da magia e missão de Exu – o Agente da Magia e da Justiça Kármica.

Dos sete capítulos somente o 7º capítulo - Movimentação ou Atuação Magística de Exu, foi ditada diretamente para nós, na última etapa de elaboração do livro.

Entreguemos a palavra ao “escriba” do Exu Sr..., quando em ESCLARECIMENTOS, afirmou nestes excertos:

“(...) Estamos falando do EXU SR..., incansável trabalhador do ASTRAL e dedicado intermediário entre a LUZ e as SOMBRAS e que na sua árdua tarefa de GUARDIÃO intercede por nós, sem ferir a LEI, pois o EXU está sempre acima dos conceitos que nós pobres terráqueos temos sobre o BEM e o MAL. O conceito de EXU é o de EXECUTOR DA JUSTIÇA E DA MAGIA(...)”.

“(...) Imagine caro leitor, um terreiro de Umbanda onde reina a harmonia e a alegria. Sim, a alegria pois o verdadeiro filho de fé é a alegria, em função da oportunidade de praticar a verdadeira caridade, de poder auxiliar, como veículo do ASTRAL, aos seus semelhantes que vem às Choupanas de Umbanda em busca de auxílio, em busca de uma palavra de conforto das Entidades, e muitas vezes, da sua própria palavra. É num desses terreiros (ORDEM INICIÁTICA DO CRUZEIRO DIVINO) que num sábado, 28 de fevereiro de 1991, após 7 horas de trabalhos, onde já havia baixados as “Crianças”, “Caboclos” e “Pretos-Velhos”, o Guardião Superior do Templo, aquele que grita por nós nas encruzilhadas da vida e do mundo, anuncia que o EXU SR..., através de seu médium F. Rivas Neto, Mestre de Iniciação, 7º Grau, 3º Ciclo, no grau de Mago, se manifestará para dar continuidade aos trabalhos da noite(...)”.

“(...) Começa então a ditar os ensinamentos e a nos orientar sobre o livro a ser publicado(...)”.

“(...) Agradeço ao astral, pela oportunidade de ser o humilde escriba deste sábio Guardião e, de alguma forma, continuar esta tarefa dentro do Movimento Umbandista, resgatando , como grande devedor que sou, alguns de meus débitos para com esta imensa coletividade umbandista.(...)”.

Agradecendo e homenageando o “escriba” não podemos deixar de citar o médium, meu filho espiritual, Silvio Luiz Ramos Garcez – Aramaty – que deu seu depoimento nos prolegômenos da citada obra, a qual transcreveremos alguns excertos.

UM POUCO DE HISTÓRIA...

“Quando alguém resolve escrever ou falar de Umbanda, a maioria das pessoas que não a conhecem associa seus adeptos e simpatizantes à gente ignorante, sem cultura, fanáticos e fetichistas. Imaginem então quando se resolve escrever sobre Exu, cujo nome para muitos não pode nem ser pronunciado, pois, Exu é o agente do mal, o “homem da capa preta”, com seu tridente, que espalha maldades pelos terreiros, onde “baixa”.

(...) Só mesmo um Exu de fato e de direito, Agente da Magia e Justiça Kármica, com responsabilidade perante a coletividade planetária, é que poderia, com agô de “cima” “revelar” arcanos até então inéditos dentro do Movimento Umbandista, esclarecendo a verdade sobre os Exus e seu real trabalho. Só mesmo “ELE”, a quem respeitosamente a partir de agora passo a chamar de Exu Sr... (...).

(...) Sobre Ele, Exu Sr..., é que passaremos a retratar alguns casos reais, vividos dentro da Ordem Iniciática do Cruzeiro Divino, Templo de Fundamentos e Trabalhos Umbandísticos, onde geralmente Ele baixa, casos esses, os quais por meio de sua poderosa penetração nos planos e subplanos afins, direcionou e resolveu, tudo é claro, dentro da linha justa e merecimento de cada um(...).

(...) O Exu baixou pela primeira vez em seu médium F.Rivas Neto – Mestre Arhapiagha (meu pai de Santé), por volta de 1969 em sua primeira Choupana de Trabalhos Umbandísticos, situada no bairro do Ipiranga, na rua Lord Cockrane, São Paulo, Capital e desde aquela época como hoje (1993) demonstra seu trabalho, sendo um profundo conhecedor da psique das humanas criaturas, principalmente de suas aspirações, de seus desafetos, tendo um forte carisma que associa de forma perfeita em verbo eloquente e grande magnetismo, atraindo a todos num sutil processo, que acaba invariavelmente tornando a todos que estão em sua presença, quando incorporado em seu médium, extremamente felizes e realizados(...).

(...) O Exu Sr... deixa sempre como lema direcionador de seu trabalho, que “Vem na Terra para fazer Justiça, doa a quem doer, aconteça o que acontecer”, retratando bem, como já foi dito, o conceito mais puro de Exu ou seja trabalhar acima do que se conhece comumente como bem e mal, ligando-se irresistivelmente ao conceito de Justiça e sua aplicação (...).

(...) Após estes esclarecimentos necessários... entremos diretamente nos casos e coisas do Exu Sr...

Caso A

Durante uma das inúmeras giras de atendimento realizadas na Ordem Iniciática do Cruzeiro Divino, “baixa” o Exu Sr... e inicia seu atendimento a vários consulentes que aguardavam sua chegada. Em dado instante o Exu Sr... chama uma determinada pessoa, e lhe pergunta:

- “Você esta com um caso intrincado, pendente na Justiça Terrena?”

A pessoa responde que não só ele, mas outro irmão de Fé também ali presente, estavam com uma demanda Judicial Trabalhista que já se arrastava por quase 2 anos e, a empresa que ambos haviam trabalhado, não se mostrava predisposta a pagar e nem mesmo entrar em acordo, e que o caso iria se arrastar ainda mais, em função da morosidade da Justiça terrena. O Exu Sr... após ter ouvido atentamente, lhe pergunta:

- “Quanto você e seu companheiro acham justo receber?”

A pessoa um tanto perplexa e atônita demora a entender onde o Exu Sr... queria chegar e após pequena reflexão o próprio Exu Sr... informa que ele deveria receber X cruzeiros e seu companheiro uma fração X/2 cruzeiros, isto em função dos cargos que ambos haviam exercidos nesta empresa.

O Exu Sr... posteriormente pede que ambos aguardassem as “coisas” acontecer...

É preciso que se diga que, uma destas pessoas é advogado militante, e também era um dos responsáveis pela causa judicial que ora citamos.

Após mais ou menos 10 dias decorridos deste contato entre estas pessoas e o Exu Sr... o advogado que encontrava-se em seu escritório, atende o telefone e, identifica-se do outro lado da linha, o advogado da empresa citada, propondo um acordo financeiro para o processo em pauta, pois a alta direção da empresa havia decidido “limpar” suas pendências judiciais segundo decisão de seu diretor presidente. Imaginem vocês o espanto desta pessoa, que por alguns instantes ficou a lembrar, as palavras proferidas pelo Exu Sr...

O mais espantoso ainda é que os valores propostos pela empresa foram os X e X/2 cruzeiros que o Exu Sr... tinha prometido...

Após este caso deve-se ressaltar mais uma vez, que os Exus trabalham essencialmente com o conceito mais puro de justiça e as pessoas em questão reivindicavam aquilo que a Lei mandava, então cuidado com o que se pede aos verdadeiros Exus, pois muitas vezes nosso pequeno horizonte espiritual não nos leva a enxergar o melhor, portanto...

Caso B

Em determinada sessão de atendimento na O.I.C.D., o Exu Sr... pede a um dos cambonos que anotasse num papel, pois na sessão seguinte, viria a sua procura uma senhora, cujo filho havia desencarnado por afogamento, em uma das praias do litoral paulista e que os cambonos deveriam guardar este papel para posterior confirmação.

Na sessão seguinte já incorporado em seu médium, o Exu Sr... chama seu cambono e pede que o mesmo pegue aquele papel da sessão anterior, e aponta determinada senhora que estava sentada na primeira fila, aguardando sua vez, no processo de atendimento aos consulentes, e diz que ela era a qual havia citado na sessão anterior. O Exu Sr... então se aproxima da senhora em questão e lhe perguntou:

“- Minha senhora, o que você deseja deste pobre Exu?” A senhora chorosa responde a seu questionamento, dizendo que havia perdido um filho, por processo de afogamento, numa das praias do litoral paulista. Neste instante o Exu Sr... chama seu cambono, que já estava segurando o papel que continha as anotações ditadas por ele na gira anterior, e manda que o mesmo entregue-o a senhora em questão que jamais havia ido à Ordem e nem conhecia o médium. Antes, porém confortou-a, exortou-lhe a fé no porvir e que não se revoltasse contra os desígnios superiores. Nesta sessão o Exu Sr... manda chamar pelo nome determinada pessoa (esta pessoa nunca havia estado na Ordem), que aguardava sua vez na assistência e lhe pergunta:

- “Você tem uma amiga de nome “Fulana” com tais e tais características físicas, e que frequentemente usa botas?” A pessoa um tanto espantada responde que sim, que realmente tinha esta amiga, que “batia” exatamente com a descrição aludida pelo Exu Sr... inclusive, cujo nome, era “Fulana”...

O Exu Sr... pediu então a esta pessoa que trouxesse esta sua amiga “Fulana” , pois precisava falar-lhe. A pessoa imediatamente fala ao Exu Sr... que seria impossível trazer a “Fulana” à Ordem pois a mesma era incrédula, não acreditava em nada.

O Exu Sr... então replica dizendo:

- “Quando você lhe disser meu nome, com certeza ela vira”. Na sessão seguinte a “Fulana”, a qual o Exu Sr... havia descrito, realmente lá estava, de botas, e era exatamente como Ele havia dito. Ela mesma, lhe falou que nunca havia entrado num “terreiro” de Umbanda, e quando a sua amiga lhe havia informado que o Exu Sr... queria lhe falar, algo de inexplicável para ela, fez com que se dirigisse a Ordem para ver e ouvir o Exu Sr...

O Exu Sr... usa deste expediente, desde que a pessoa tenha merecimento para tal, lhe abalando positivamente sua estrutura psicoemotiva, fazendo-a a refletir com mais acuidade sobre os valores da vida.

Caso C

Este caso que ora passo a relatar, para mim é algo que desafia todas as leis da física quântica, mormente em seus aspectos mais profundos, principalmente no que diz respeito a estática do ponto, pois só mesmo quem presenciou o Exu Sr... realizá-lo não uma vez , mais várias, é que pode aquilatar a grandiosidade de seu poder e de seu alto conhecimento teúrgico.

Todos os Umbandistas, pelo menos uma vez na vida, já viram um Caboclo, um Pai Velho e principalmente um Exu, utilizarem em seus trabalhos magísticos os chamados “ponteiros”, que nada mais são que punhais por eles utilizados, para os mais diversos fins, os quais não citaremos por fugir completamente do objetivo deste texto. Sempre quando uma entidade astralizada utiliza seu “ponteiro”, ela o faz sobre um substrato, que permita que este possa se assentar, ser firmado.

Geralmente Eles utilizam uma tábua de cedro ou de outra qualidade qualquer para tal empreitada.

O Exu Sr... é bastante “sui generis” na escolha de seu substrato, pois pasmem, ele firma seus “ponteiros” no chão, no cimento, na pedra, e em lugares em que geralmente “estes” nunca parariam...Os mais afoitos poderiam questionar, Ah, ele faz um “buraquinho” no chão e lá os coloca? E eu respondo, NÃO! Ele os atira! E o chão parece madeira! E vou mais longe, firma-os, fazendo com que os mesmos parem fixos formando ângulos com a horizontal... (Isto é pura magia).

Após citarmos alguns casos, é obvio que o fizemos resumidamente. Estes e muitos outros, são o dia a dia nas “Giras” da “Ordem Iniciática do Cruzeiro Divino”. Se fôssemos citar todos os casos resolvidos, inclusive os inimagináveis, impossíveis de se acreditar, iríamos escrever vários livros. Quem conhece a Ordem sabe que não falamos inverdades. Tudo isso com os Exus, sem falarmos da principal atividade com os “Caboclos”, “Pais Velhos”, etc.

Todos os casos que citamos e muitos outros, as pessoas envolvidas estão vivas, e não declinam de dar testemunhos.

Encerrando nossas despretensiosas linhas, quero frisar que os “Caboclos”, os “Pais Velhos” e “Crianças” comumente realizam estes trabalhos e o Exu Sr... como todos os Exus , sempre os realizam , quando encontram médiuns afins, com um único objetivo, despertar naqueles céticos e descrentes, a fé, ou seja o questionamento interior para as coisas do espiritual, e não como muitos podem pensar, como um ato de exibicionismo barato.(...)

(...) Não tenham medo, Umbandistas ou não, de esclarecer aqueles que ainda teimam em associar Exu ao que há de mais escuso no submundo astral, pois Ele não é, não foi, nem será. E invariavelmente a verdade pode ficar “ encoberta” por muitos séculos, mas chegou o momento desta verdade fluir, emergir, chegar a todos. Como diz Exu Sr...”Aconteça o que acontecer...” Saravá A Coroa da Encruzilhada! Saravá O Exu... e toda a sua banda!

P.S.: Atualmente Aramaty, iniciado por nós há mais de 15 anos, é nosso preposto na direção de nosso Templo em Brasília, Distrito Federal. Também gostaríamos de agradecer aos iniciados que muito trabalharam, que participaram ativamente para a produção do livro: Yamaracyê, Tashanan, Obashanan, Yamatiara, Ygbere, Babajinan, Araobatan, Karabayara, Aracyauara, Shandarayara e tantos outros. Além disso, gostaríamos de citar Roque Ciaco Neto que fez a capa da 1ª edição do livro.

Após os excertos, o assíduo e atento leitor deve estar questionando: por que o Rivas Neto está comentando a obra que estava na 3ª edição, e depois de esgotada não mais foi editada? É verdade, está esgotada há mais de 7 anos, e como disse o Exu Sr... terminou a fase probatória, portanto mais uma reedição à vista.

Aproveitamos o ensejo para comunicar que iríamos reeditar o Exu – O Grande Arcano pela editora da FTU (FTU Edições), todavia resolvemos com o ago do Exu Sr... editá-lo pela Ayom Records que tem como Diretor Presidente - William do Carmo, Obashanan, um dos meus mais antigos Filhos de Santo, iniciado por nós há mais de 15 anos.

Soubemos pelo Obashanan, também conhecido por William de Ayrá que o lançamento da obra, na 4ª edição revisada atualizada e ampliada será no Toque de Caboclo, em 19 de fevereiro. Todos estão convidados para o ritual e igualmente para o lançamento da obra – Exu O Grande Arcano, como dizemos: O Livro da Capa Preta. Axé!


Capa da 3ª Edição

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 107

3 comentários:

  1. Emprestei esse livro da minha sogra Marlene para ler, recomendado pela Néia, esposa do Paulo. Adorei esse livro!!!! Procurei pra comprar na Ordem e soube que estava esgotado.
    Fiquei muito feliz em saber que vai ser reeditado.
    Vou querer um exemplar com certeza!!!
    Parabéns a todos pelo esforço da reedição. Aranauam.
    Cláudia, esposa do Sergio, mãe do Gabriel e do Rafael.

    ResponderExcluir
  2. Ainda não consegui encontrar a quarta edição de Exú, o Grande Arcano para comprar em lojas especializadas, como posso proceder para adquirí-lo?
    Obrigado

    vinivete@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Parabéns a Pai Rivas e a Ayom Editora, por tão requintada reimpressão desta obra que, sem dúvida alguma, constitui o melhor compêndio já escrito sobre EXU. Mesmo já possuindo a 2ª e 3ª edições, não pude deixar de prestigiar esse relançamento, que celebra toda a beleza e sapiência inata ao Senhor dos Planos Opostos. Meu fraterno Saravá, Mestre Arapiaga!

    ResponderExcluir