segunda-feira, 28 de junho de 2010

A Vertente Una do Sagrado

RESUMO

O Sagrado é a Espiritualidade universal, inerente a todos os seres humanos, corresponde à Essência de cada um de nós e transcende ao corpo físico, assim como a toda forma de energia. O Sagrado é, portanto atemporal, adimensional – Eterno e Infinito.

A Convergência aponta para o Sagrado, este, por sua vez, é a Unidade e Universalidade de todas as coisas e por esta visão não dualista compreende todas as faces da realidade espiritual e material e está presente em todos os Seres, assim como em todos os setores que buscam a vivência desse mesmo Sagrado.

Convergência é a compreensão da Vertente-Una do Sagrado. Passamos de uma visão fenomênica que ressalta as diferenças para uma visão mais aprofundada, interessando-nos a semelhança estrutural, os princípios que formam todas as religiões.

Palavras-Chave: Convergência, Espiritualidade, Religião, Sagrado, Vertente Una do Sagrado.

ABSTRACT

The Sacred is the universal Spirituality, inherent to all human beings, represents the essence of each one of us and transcends the physical body as well as all forms of energy. The Sacred is so timeless, dimensionless - Eternal and Infinite.

The convergence points to the Sacred, this, in turn, is the Unity and Universality of all things and for this non-dualistic vision includes all facets of spiritual and material reality and is present in all beings, as well as in all sectors who seek the experience of that sacred.

Convergence is the understanding of the Holy One-strand. We come from a phenomenal vision that highlights the differences to a more thorough vision, interested in the structural similarity, the principles that make all religions.

Keywords: Convergence, Spirituality, Religion, Sacred, Sacred One-Strand.

A VERTENTE UNA DO SAGRADO

O Sagrado é a Espiritualidade universal, inerente a todos os seres humanos, corresponde à Essência de cada um de nós e transcende ao corpo físico, assim como a toda forma de energia. O Sagrado é, portanto atemporal, adimensional – Eterno e Infinito.

Nossa consciência oscila entre a percepção das formas temporais e a percepção do Ser-em-Si, do Sagrado dentro de nós, que não tem forma, nem tempo. Infelizmente, nossa sociedade atual polariza-se na realidade material, esquecendo-se da realidade espiritual. Já não percebemos que a realidade material é apenas uma manifestação do Espírito e que, assim como teve início terá fim.

A consequência direta da hipervalorização da forma em detrimento da essência é que passamos a pautar nossos valores e relações sociais em função das diferenças aparentes que existem entre nós. Advêm daí vários preconceitos e discriminações com os relacionados com a etnia, com o sexo, com a cultura, com o nível socioeconômico, com a religião, etc.

Temos uma sociedade que dá mais valor à diferença do que à semelhança de todos nós. Favorecemos assim o egoísmo, o exclusivismo e o separatismo.

Estamos acostumados a pensar de forma analítica, vemos a diversidade aparente na natureza perceptível aos nossos sentidos e acreditamos que a pluralidade é a característica do real. Não percebemos que se não tivéssemos as limitações que “cercam” nossa consciência, seríamos capazes de ver que são as mesmas partículas subatômicas que formam toda a existência no plano microscópico e que estamos todos inseridos em um grande contexto universal, onde tudo está interligado, no plano macrocósmico.

Quando a Umbanda por intermédio da Escola de Síntese afirma: - Nossa Pátria é o planeta Terra, quer dizer que percebe a imensa família planetária que representa a humanidade e que temos nossos destinos entrelaçados. A interdependência é o guia da Ética proposta por essa Escola de pensamento filosófico. Todo esforço que fazemos no sentido do autoconhecimento remete à identificação com o outro e passamos a entender o Bem como algo necessariamente coletivo; não existe Bem quando é só para um e não para todos.

Com esses conceitos em mente, podemos definir Convergência e os princípios que podem nortear este processo.

A Convergência aponta para o Sagrado, este, por sua vez, é a Unidade e Universalidade de todas as coisas e por esta visão não dualista compreende todas as faces da realidade espiritual e material e está presente em todos os Seres, assim como em todos os setores que buscam a vivência desse mesmo Sagrado.

Por conseguinte, entendemos que todas as religiões são boas, todas contêm o Sagrado dentro de si e merecem ser respeitadas e louvadas em seus veneráveis propósitos. O primeiro passo da Convergência é a Convivência Pacífica, algo que somente se instalará quando começarmos a dar mais valor à semelhança entre todos os setores filo-religiosos, compreendendo que as diferenças atendem à variação de entendimento do Sagrado que nós, seres humanos, possuímos.

O segundo passo da Convergência é a compreensão da Vertente-Una do Sagrado. Passamos de uma visão fenomênica que ressalta as diferenças para uma visão mais aprofundada, interessando-nos a semelhança estrutural, os princípios que formam todas as religiões.

Como podemos observar no diagrama a seguir, todos acreditam em uma Realidade Divina, perfeita, eterna, Una e imaterial. Os cristãos chamam Deus; os islâmicos, Allah; os judeus, Ieve; os budistas, Nirvana ou Mente Incriada; os Taoístas, Tao; os vedanta, Brahman e assim por diante. Desta forma, temos o topo de nossa Vertente-una.

Existem, também, em todos os setores, Potestades Divinas que coordenam o Universo, as formações da matéria, as leis que regulam a evolução dos seres, com nomes diferentes segundo cada setor, mas com funções semelhantes.

A seguir, temos os Ancestrais Ilustres da humanidade, seres que viveram no planeta, encarnados e que foram veículos da manifestação do Sagrado em sua pureza. Foram os grandes patriarcas, profetas de todos os povos, grandes líderes da humanidade que revelaram meios, métodos e regras para a união do homem com o Sagrado. Os princípios ensinados por estes augustos condutores de raças foram sempre os mesmos, apenas adaptados a cada local e situação.

Por fim, temos a humanidade terrena que ainda se digladia tentando fazer prevalecer a idéia de um sobre os outros, buscando a satisfação dos sentidos como forma de realização da personalidade temporal. Essa mesma humanidade necessita engajar-se neste processo de verticalização que conduz ao Sagrado, ao destino ultérrimo de nossa coletividade planetária.

Esperamos uma nova sociedade, condizente com a natureza sagrada de todos os seres. Reinará no planeta a Paz Mundial e viveremos a Felicidade também durante a vida terrena, pois o Sagrado não é algo para se almejar para depois da vida física, mas para se realizar aqui, agora e sempre...

A Umbanda, humildemente, pretende contribuir com nossa família planetária nessa caminhada, por isso abre suas portas em todas as direções para receber e aceitar as pessoas como elas são e, lentamente, dar-lhes subsídios para serem mais felizes e conquistarem uma paz interior que se reflete na Paz do Mundo.

A Escola de Síntese preconiza, na teoria e na prática, a universalidade e a Unidade de todas as coisas que nos remete à Paz Mundial e à Convergência. Este é o princípio que sustenta todas as ações, mesmo quando atuamos no campo da pluralidade, respeitando o momento de cada um, com a certeza de que somos todos sagrados.

Entendemos que a finalidade da Umbanda é reunir o homem com sua Realidade Espiritual por meio de três etapas:

Reunião com os Ancestrais Ilustres (ritos mediúnicos)

2º Reunião com as Potestades Divinas (Ritos de Canalização com os Orixás)

3ª Reunião com a Divindade Suprema (Identificação com a Consciência–Una)

Vejamos no esquema abaixo as Hierarquias espirituais como são entendidas pela Escola de Síntese e cada um poderá transpor este sistema para todos os demais setores filorreligiosos.





As etapas podem ser progressivas ou concomitantes, sem solução de continuidade; está na dependência de cada indivíduo, que é livre para dimensionar as formas parciais ou globais de vivências do Sagrado, que insistimos ser a Espiritualidade Universal inerente a todo ser humano, vivente no seu interior. Vivamos o Sagrado?!? Axé.

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 49

Bibliografia

· RIVAS NETO, Francisco. Do Sincretismo à Convergência. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE UMBANDA DO SÉCULO XXI, São Paulo: Faculdade de Teologia Umbandista, 2009.

· RIVAS NETO, Francisco. Sacerdote, Mago e Médico : cura e autocura umbandista: terapia da alma. 1. ed. São Paulo: Ícone, 2003, 493p.

· RIVAS NETO, Francisco. Umbanda A Proto-Síntese Cósmica. 4. ed. São Paulo: Pensamento, 2007, 392p.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Terapia do Transtorno de Tourette

Os tiques são definidos como contrações musculares rápidas e repetitivas resultando movimentos ou vocalizações percebidos como involuntários. O transtorno de tique mais conhecido e mais grave é a síndrome Gilles de La Tourette, também conhecida como transtorno de Tourette.

TRATAMENTO

1. Farmacológico

- Os antagonistas dos receptores de dopamina de alta potência – haloperidol, trifluoperazin e pimozida, reduzem os tiques de forma significativa.

- Risperidona (antogonistas da serotonina – dopamina)

- É promissor, merecido mais observação os antagonistas: alfa-2 adrenérgico – clonidina e guanfacina.

Psicoterápico

- Pedagógico – educacional

Familiares, professores e colegas às vezes interpretam os tiques de forma equivocada como comportamentos intencionais, fazendo com que a criança seja tratada como se tivesse um problema “comportamental”, o que é irreal.

A família, em especial os pais, devem ter uma educação abrangente sobre o transtorno de modo que as crianças não sejam punidas por seus tiques.

TRATAMENTO NA VISÃO DAS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS

1. Associar metodologia usada com a proporcionada pela medicina acadêmica (alopatia ou homeopatia)

2. Terapia vegeto magnética

2.a. Banhos de descarrego

2.b. Banhos com ervas “frias”

2.c. Defumações condizentes

2.d. Garrafadas preparadas por quem saiba fazê-lo

2.e. Ervas frias frescas no travesseiro; ervas frias frescas sob o lençol; usar durante 7 dias e trocar refazendo o processo.

As ervas usadas serão descartadas num rio caudaloso.

2.f. Abô

Para quem tiver a possibilidade, deixar numa quartinha pequena de barro um pouco de abô do fundamento do templo próximo onde o indivíduo dorme. Não é para tomar banho, muito menos beber, é só deixar próximo e os efeitos, as emanações curativas e rituais propiciam a melhora.

3. Terapia do Diálogo

Na medida do possível levar o indivíduo ao templo e deixá-lo “passar” por uma entidade incorporada. É bom que os pais também se submetam ao tratamento, pois atua nos aspectos sobrenaturais, afastando os antagonistas (espíritos contrários que atuam decisivamente no processo).

Os outros aspectos alhures citados tem seu valor, todavia os citados são os mais condizentes segundo nossa visão.

Como também falamos de aspectos “terapêuticos” das religiões afro-brasileiras, estamos entregando a todos um vídeo que versa sobre o poder curativo e magístico da música, do canto e da dança, que se expressam nos milhares de terreiros do Brasil afora. Esta terapia demonstrada no vídeo não desdenha de outras, em verdade de nenhuma pois todas são terapias. Axé!



Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá
Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 48

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Síndrome de Gilles de La Tourette - Tiques

RESUMO

Continuando os estudos de transtornos da mente focalizemos a atenção na síndrome de Gilles de La Tourette (Tiques) na qual está bem evidenciada a atuação espiritual na gênese da doença. Os achados clínicos, os sintomas, em geral iniciam-se na infância e adolescência. A maioria dos sintomas consiste em tiques faciais, fônicos e motores múltiplos.

No plano astral desenrolam-se dramas espirituais de que, por ora, nem desconfia a nobre medicina terrena. Esta síndrome é na verdade o pano de fundo onde se manifestam algumas patologias da alma, acrescidas por fatores desencadeantes e agravantes, as quais procuraremos descrever.

Palavras-chave: Entidades Espirituais Negativas, Medicina Integrativa, Religiões Afro-brasileiras, Síndrome de Gilles de La Tourette, Sistema Nervoso

ABSTRACT

Continuing the studies about disorders of the mind, let us focus our attention on the Gilles de la Tourette syndrome (Tics), in which the spiritual interference is clearly demonstrated in the genesis of the disease. The clinical symptoms usually begin in childhood and adolescence. Most symptoms consisting of facial, motor and phonic multiple tics.

On the astral plane, spiritual dramas unfold and, for now, medicine on earth don’t even suspect. Actually, this syndrome is the background where some diseases of the soul manifests, enhanced by triggering and aggravating factors, which we seek to describe here.

Keywords: Negative Spiritual Entities, Integrative Medicine, Afro-Brazilian Religions, Gilles de la Tourette Syndrome, Nervous System.

SÍNDROME DE GILLES DE LA TOURETTE - TIQUES

Continuando os estudos de transtornos da mente focalizemos a atenção na síndrome de Gilles de La Tourette na qual está bem evidenciada a atuação espiritual na gênese da doença.

Os achados clínicos, os sintomas, em geral iniciam-se na infância e adolescência. A maioria dos sintomas consiste em tiques faciais, fônicos e motores múltiplos.

O sintoma inicial ocorre especialmente na região de face, cabeça e ombros. Manifesta-se como balançar a cabeça, franzir a testa, pestanejar, movimentos no nariz, cheirar, etc.

Nos tiques fônicos, os sons produzidos consistem em pigarrear, assoviar, latir, grunhir, tossir, podendo incluir-se também a coprolalia (proferir palavras obscenas), a ecolalia e a copropraxia, isto é, a repetição das palavras de outros ou mesmo frases inteiras e gestos obscenos.

Nos tiques motores podemos ter alguns de natureza automutilante, tais como morder os lábios ou a língua, roer unhas e outros.

Segundo a neurologia e mesmo a psiquiatria, não há enfermidade psiquiátrica primária, todavia pode haver de forma secundária, devido ao constrangimento social produzido.

O maior problema está na diagnose, que frequentemente é adiada, pois o quadro nosológico que afeta o paciente é tido como enfermidade psiquiátrica ou processo discinético idiopático.

O tratamento consiste na administração da droga haloperidol, que é a primeira escolha. Outros neurolépticos podem ser utilizados, como a risperidona ou a pimozida.

Todas estas drogas são sintomáticas, pois a síndrome encontra períodos de remissões e recidivas, sendo, pois um processo crônico e permanente.

Acreditamos que expusemos o básico apresentado pela Patologia Clínica segundo os progressos alcançados pela medicina terrena.

No plano astral desenrolam-se dramas espirituais de que, por ora, nem desconfia a nobre medicina terrena.

Esta síndrome é na verdade o pano de fundo onde se manifestam algumas patologias da alma, acrescidas por fatores desencadeantes e agravantes, as quais procuraremos descrever.

Para melhor compreensão da manifestação da doença no doente, não podemos olvidar que não há doença sem doente, portanto é nele que deveremos ater nossa atenção.

A síndrome em discussão está inteiramente associada ao Sistema Nervoso e este por sua vez é concretização dos organismos sutilíssimo e sutil (mental superior e inferior).

Imagens e vivências negativas associadas a atos extemporâneos e animalizados perpetrados contra o próximo, com grande repercussão em sua vida e com consequências kármicas severas, podem ser causas da síndrome de Gilles de La Tourette.

A viciação dos centros superiores e mesmo de certos núcleos da base cerebral podem desencadear esta ou outras síndromes, com envolvimento em outros órgãos, principalmente fígado, rim, coração, pulmão e intestinos. Lembremos aqui a Doença de Wilson, decorrente da deficiência de ceruloplasmina.

Segundo os conceitos da Medicina Integrativa ou das Religiões afro-brasileiras, nunca há apenas um órgão ou sistema comprometido, mas sempre o organismo como um todo, podendo alguns órgãos-alvo serem mais afetados, sendo o diagnóstico feito por meio deles.

Pode-se inferir que esta síndrome, assim como outras, tem seus ascendentes na conduta do indivíduo em vidas passadas, as quais, quando negativas, alteram o mapa genético que pode ou não manifestar a enfermidade, mas neste caso há evidências de reincidência, pois as manifestações morbosas tiveram início na infância ou nos albores da adolescência.

Além destes fatores, não poderemos negar a influência de entidades espirituais negativas que carregaram ainda mais na exteriorização dos sintomas, tornando-os dramáticos, tudo para desestruturar o pobre paciente.

Não obstante a multiplicidade de fatores kármicos desencadeantes veremos à Luz da Medicina Integrativa como ocorre o processo em nível sutilíssimo, sutil e denso, orientando assim a terapêutica evidenciada em nossa próxima publicação. Axé!

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 47

Bibliografia

Aspectos Psicológicos e Psiquiátricos

· ANDRADE, Arthur Guerra de. ALVARENGA, Pedro Gomes.Fundamentos de Psiquiatria. 1. ed. Barueri: Manole, 2008, 644p.

· AUSIELLO, Dennis. GOLDMAN, Lee. Cecil - Tratado de Medicina Interna - 2 Vols. 23. ed. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2009, 2688p.

· BICKLEY, Lynn S. Propedêutica Médica – Bates. 8. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 928p.

· HALL, Calvin S. LINDZEY, Gardner. CAMPBELL, John B.Teorias da Personalidade. 4. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2000, 591p.

· KAPLAN, Harold I., SADOCK, Benjamin J. Tratado de psiquiatria. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1999, 1486p.

· MURPHY, Michael J. COWAN, Ronald L. Psiquiatria – Murphy – Série Blueprints. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. Revinter, 2009, 152p.

· PADRO, Cintra do. VALLE, Ribeiro do. RAMOS, Jairo.Atualização Terapêutica. 23. ed. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 2007, 2400p.

· PAIN, Isaias. Tratado de Clínica Psiquiátrica. 3. ed. São Paulo: E.P.U. Ed, 1991, 370p.

· PINHEIRO, Raimundo. Medicina Psicossomática – Uma abordagem clínica. 1. ed. São Paulo: Fundo Editorial DYK, 1992, 125p.

· PORTO, Celmo Celeno. PORTO, Arnoldo Leme. Semiologia Médica. 6. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 1356p.

· SÓFOCLES. Édipo Rei. 1. ed. Porto Alegre: L&PM, 2001, 104p.

Aspectos Religiosos

· RIVAS NETO, Francisco. Do Sincretismo à Convergência. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE UMBANDA DO SÉCULO XXI, São Paulo: Faculdade de Teologia Umbandista, 2010.

· RIVAS NETO, Francisco. Sacerdote, Mago e Médico : cura e autocura umbandista: terapia da alma. 1. ed. São Paulo: Ícone, 2003, 493p.

· RIVAS NETO, Francisco. Vídeo-Aula 19: A ciência do Orixá - Parte 2 - Psicanálise e Arquétipos dos Orixás. Disponível em: mms://wm01.mediaservices.ws/ftu12-ondemand/FTU_VIDEOAULA_19.wmv. Acesso em: 13 jun 2010.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Tratamento da Esquizofrenia

A mais comum das doenças mentais se caracteriza por distorção do senso de realidade, inadequação e falta de harmonia entre pensamento e afetividade, e freqüentemente alucinações e idéias delirantes (Kaplan). A tendência à enfermidade é hereditária, mas fatores psicossociais também contribuem.

Os principais tipos são: catatônico (mudo, estuporoso, bizarro, delirante), paranóide (“perseguido”), hebefrênico (frívolo, infantil, isolado), simples (apático, regressivo).

O tratamento é feito com drogas antipsicóticas e psicoterapia com o mínimo de hospitalização (vide publicação 45).

TRATAMENTO SEGUNDO AS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS

1. Nunca interromper o tratamento farmacoterápico ou psicoterápico do paciente;

2. Nem sempre se pode curar todos os males, mas com certeza, aliviar sempre;

3. A maioria dos pacientes esquizofrênicos são perturbados espirituais, tem comprometimento espiritual (atuação de espíritos antagônicos – kiumbas, eguns e toda sorte de marginais espirituais);

4. Esses espíritos antagônicos atuam no campo mental do indivíduo, desarmonizando pensamentos, sentimentos e comportamentos, podendo apresentar sintomas de conversão (a mente desgovernada manifesta sintomas físicos);

5. Terapia do diálogo

Atuação por intermédio dos ritos (enjiras) onde os ancestrais ilustres atuam com suas palavras de poder, seus passes e outros processos terapêuticos do plano espiritual;

6. Bori

O bori é essencial, pois fortalece a cabeça (ori) propiciando uma natural repulsão de energias negativas oriundas da mente destrambelhada.

Permite ao indivíduo retomar a conexão com seu ori e por decorrência com seu olori (o Orixá dono da cabeça) fazendo-o retornar ao equilíbrio mágico-sagrado (fluxo contínuo de axé);

7. Ervas

Devem ser qualificadas adequadamente. Saber se são: masculinas/femininas; direita/esquerda; positiva/negativa; quente/fria; utilizadas com metodologia própria do culto de Ossaim (Sassanha) onde se despertam as ervas, com cânticos sagrados adequados e ofós.

São usadas em banhos do descarrego, purificação, propiciatório, etc. Defumações, abôs, sacudimentos (no final), amassis, etc;

8. Oferendas e ebós em suas várias formas e finalidades;

9. Terapia do transe mediúnico – para aqueles que são médiuns e não sabiam, ou mesmo para outros que são médiuns e não souberam como manter a mediunidade e para alguns “iniciados” que infortunadamente rolaram os degraus da iniciação.


Depois destas considerações que esperamos possam trazer luz ao tema discutido, disponibilizamos vídeo – Iniciação como terapia da alma. Axé!





Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 46

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Caso insólito de Esquizofrenia Catatônica

RESUMO

A depressão, quando resistente, pode estar no “boderline” com as esquizofrenias, não sendo raro a estes pacientes ter problemas com a identidade e instabilidade afetiva que podem levá-los ao suicídio. Além de toda a clássica sintomatologia que permite o diagnóstico, este e outros distúrbios de personalidade têm como etiologia a influência direta de outras mentes, que influenciam decisivamente o paciente ou vítima. Estes distúrbios do humor podem ter várias manifestações, mas todas mesmo as com possível comprometimento orgânico, tem como base a influência espiritual deletéria de um antagonista astralizado (sobrenatural).

Desde a esquizofrenia simples até a catatonia, além dos quadros descritos e estudados pela psiquiatria, merecedora de amplo e irrestrito respeito pelo seu venerável trabalho no auxílio ao doente, há o aspecto espiritual a ser considerado. À guisa de ilustração, com todo respeito, nos reportaremos a um caso de esquizofrenia catatônica por nós atendido a pedido de um colega psiquiatra que também é simpatizante do espiritualismo, especificamente da Medicina Complementar ou Medicina das Religiões Afro-brasileiras.

Palavras-chave: Espiritualidade, Esquizofrenia catatônica, Medicina Complementar, Religiões Afro-brasileiras, Sobrenatural.

ABSTRACT

Depression, when resistent, can be in "boderline" with schizophrenias, not been uncommon for these patients to have problems with identity and emotional instability that may lead them to suicide. Besides all the classic symptoms which allows the diagnosis, these and other personality disorders have as their etiology the direct influence of other minds, influencing decisively the patient or victim. These mood disorders can have various manifestations, but even with all possible organic impairment, it is based on the deleterious influence of a spiritual supernatural antagonist.

From the simple schizophrenia to the catatonia, beyond the medical pictures described and evaluated by psychiatry, worthy of broad and strict respect for its venerable work to aid the sick, there is a spiritual aspect to be considered. To illustrate, with all due respect we report a case of catatonic schizophrenia treated by us at the request of a fellow psychiatrist who is also a supporter of spiritualism, specifically of Complementary Medicine or Medicine of Afro-Brazilian Religions.

Keywords: Spirituality, catatonic schizophrenia, Complementary Medicine, Afro-Brazilian Religions, Supernatural.

CASO INSÓLITO DE ESQUIZOFRENIA CATATÔNICA

A depressão, quando resistente, pode estar no “boderline” com as esquizofrenias, não sendo raro a estes pacientes ter problemas com a identidade e instabilidade afetiva que podem levá-los ao suicídio (vide postagem - transtornos depressivos).

Além de toda a clássica sintomatologia que permite o diagnóstico, este e outros distúrbios de personalidade têm como etiologia a influência direta de outras mentes, que influenciam decisivamente o paciente ou vítima. Estes distúrbios do humor podem ter várias manifestações, mas todas mesmo as com possível comprometimento orgânico, tem como base a influência espiritual deletéria de um antagonista astralizado (sobrenatural).

Desde a esquizofrenia simples até a catatonia, além dos quadros descritos e estudados pela psiquiatria, merecedora de amplo e irrestrito respeito pelo seu venerável trabalho no auxílio ao doente, há o aspecto espiritual a ser considerado.

À guisa de ilustração, com todo respeito, nos reportaremos a um caso de esquizofrenia catatônica por nós atendido a pedido de um colega psiquiatra que também é simpatizante do espiritualismo, especificamente da Medicina Complementar ou Medicina das Religiões Afro-brasileiras.

O quadro consistia em: paciente moça, com vinte anos de idade, solteira, bom nível socioeconômico, estudante de medicina. Até a eclosão do quadro era calma, equilibrada e bem humorada, segundo relato da mãe; mantinha ótimo relacionamento com todos e nunca havia apresentado qualquer alteração psiquiátrica.

Esta teve início com um quadro agudo de agressividade e intensa agitação, movimentação violenta e postura bizarra com fala alterada, apresentando vocabulário chulo, seguido de torpor.

Após o quadro clínico psiquiátrico descrito, a paciente permaneceu sem falar, sem comer, sem deambular (andar). Em suma, este é um quadro catatônico.

Quando da primeira entrevista, apresentava “alucinações visuais”; afirmava que havia sido tocada por uma mulher com “cabelo verde”, que tinha lhe ordenado ficar parada, pois se andasse iria morrer...

Nesse estado, apresentou uma crise típica dos epilépticos, com agitação intensa, seguida de exaustão e torpor.

Acordada, parecia robotizada, como se “hipnotizada”, “cumprindo ordens” como um autômato, caminhando, se não fosse tratada, para a desagregação total ou demência.

Embora a desagregação não seja tão rápida, o quadro pode ser progressivo, levando à demência, apesar desta, entre as psicoses, ser a mais benigna. Isto se receber tratamento adequado e não encontrar um médico mercantilista, que além de produzir efeitos deletérios e iatrogênicos, pode por a perder uma vida. Felizmente, esses são minoria.

Além das fenotiazinas (tioridazina, clorpromazina e outros), temos como arsenal terapêutico, alopático as butirofenonas (haloperidol, triperidol, etc). Acreditamos que além da assistência medicamentosa e psicoterápica deve-se introduzir a assistência espiritual, com a neutralização de influências externas provenientes de seres espirituais antagonistas, muito deles cruéis e desalmados hipnotizadores que tentam levar a cabo suas vinditas maléficas.

Portanto, a Medicina Complementar ou psicoespiritual sem desprezar o arsenal medicamentoso alopático, aceita a psicoterapia, mas, tem seus métodos, que não desdenham de nenhum outro, podendo atuar de forma concomitante ou separada, algo que fizemos na paciente citada. Felizmente, após neutralizarem-se as influências espirituais, nunca mais apresentou o quadro citado, portanto sem recidivas, e vem tomando medicamento recomendado pela medicina alopática e recebendo bênçãos de energias positivas de um Templo das religiões afro-brasileiras onde, aliás, é assídua e operosa colaboradora.

Para melhor esclarecer nosso leitor, tentemos fazer uma resenha do que realmente aconteceu com a paciente citada.

Como afirmamos, a paciente tinha vinte anos, cursando na época o terceiro ano de medicina de uma tradicional Escola médica Paulista.

Conhecera no segundo ano um colega que viera, transferido, de uma faculdade do Rio de Janeiro. Logo de início houve uma simpatia, muito grande entre ambos, culminando esta admiração em enlevado namoro.

Os primeiros seis meses foram só encanto, devaneio e amor juvenil, quando ele, sem muitas explicações, disse-lhes não mais estar interessado em continuar o namoro, já que encontrara outra pessoa que lhe fizera sentir o verdadeiro amor.

Esta moça, segundo pudemos penetrar pela clarividência, estava ligada à mais baixa classe de correntes espirituais, com fortes vínculos com a toxicomania e magia negra.

Quando a paciente se restabeleceu, e tendo sido neutralizados os efeitos da magia negra, o namorado retornou, embora estivesse sob os guantes da toxicomania pesada, levando longo período para recuperar-se e tendo ficado sequelado com toda sorte de fobias e outras desordens psicoespirituais.

Não conseguindo mais reaver a amizade, nem mesmo a simpatia e muito menos o amor pela paciente citada, e como não acreditava na espiritualidade e menos ainda na influência dos espíritos e dos efeitos deletérios por eles produzidos através da goécia, retornou ao Rio de Janeiro onde, segundo informações da paciente, deixou de cursar medicina, dedicando-se à administração de uma rede de hotéis de sua família.

Esperamos que a exposição fale por si e que todos possam entender que, infelizmente, vivemos num planeta onde há homens egoístas, orgulhosos e vaidosos, fatores esses que os fazem delinquir, trazendo dores para si e para os outros. É triste, mas esta é uma constatação que não pode ser ignorada, estigma de uma sociedade agressiva, competitiva, desigual e independente, que como dissemos, encontra-se extremamente doente...

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 45

Bibliografia

Aspectos Psicológicos e Psiquiátricos

· ANDRADE, Arthur Guerra de. ALVARENGA, Pedro Gomes.Fundamentos de Psiquiatria. 1. ed. Barueri: Manole, 2008, 644p.

· AUSIELLO, Dennis. GOLDMAN, Lee. Cecil - Tratado de Medicina Interna - 2 Vols. 23. ed. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2009, 2688p.

· BICKLEY, Lynn S. Propedêutica Médica – Bates. 8. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 928p.

· HALL, Calvin S. LINDZEY, Gardner. CAMPBELL, John B.Teorias da Personalidade. 4. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2000, 591p.

· KAPLAN, Harold I., SADOCK, Benjamin J. Tratado de psiquiatria. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1999, 1486p.

· MURPHY, Michael J. COWAN, Ronald L. Psiquiatria – Murphy – Série Blueprints. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. Revinter, 2009, 152p.

· PADRO, Cintra do. VALLE, Ribeiro do. RAMOS, Jairo.Atualização Terapêutica. 23. ed. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 2007, 2400p.

· PAIN, Isaias. Tratado de Clínica Psiquiátrica. 3. ed. São Paulo: E.P.U. Ed, 1991, 370p.

· PINHEIRO, Raimundo. Medicina Psicossomática – Uma abordagem clínica. 1. ed. São Paulo: Fundo Editorial DYK, 1992, 125p.

· PORTO, Celmo Celeno. PORTO, Arnoldo Leme. Semiologia Médica. 6. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 1356p.

· SÓFOCLES. Édipo Rei. 1. ed. Porto Alegre: L&PM, 2001, 104p.

Aspectos Religiosos

· RIVAS NETO, Francisco. Do Sincretismo à Convergência. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE UMBANDA DO SÉCULO XXI, São Paulo: Faculdade de Teologia Umbandista, 2010.

· RIVAS NETO, Francisco. Sacerdote, Mago e Médico : cura e autocura umbandista: terapia da alma. 1. ed. São Paulo: Ícone, 2003, 493p.

· RIVAS NETO, Francisco. Vídeo-Aula 19: A ciência do Orixá - Parte 2 - Psicanálise e Arquétipos dos Orixás. Disponível em: mms://wm01.mediaservices.ws/ftu12-ondemand/FTU_VIDEOAULA_19.wmv. Acesso em: 13 jun 2010.