quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Na Umbanda a reflexão é primordial...


A maioria dos textos que postamos no blog remete a uma reflexão, e muito mais, a um questionamento.

A estratégia é deixar o tema sempre aberto ao diálogo. Como sempre afirmamos: “não temos a última resposta, pois não temos a última pergunta”; que bom, mais diálogo à vista!

Este é o mote do blog Espiritualidade e Ciência, com ênfase em saúde e sustentabilidade, preconizadas pelas religiões afro-brasileiras.

Foi com o intuito de promover uma discussão dialógica que no último texto postado questionamos: “A macumba foi a primeira manifestação de Umbanda”?

Sabendo-se que a macumba surgiu do caldeamento de crenças ameríndias, africanas e européias (catolicismo), principalmente no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul é bom que se saliente que esse “caldeamento assimétrico” vem acontecendo desde a 2ª metade de século XVI.

Quando citamos crenças queremos ressalvar que as indígenas e africanas não eram homogêneas, ao contrário, eram heterogêneas, devido ao fato das nações indígenas e africanas não serem iguais. Os vários povos indígenas tinham culturas e crenças diferentes entre si, o mesmo acontecendo com os povos africanos.

Infelizmente, ontem e hoje estereotipamos os grupos indígenas (como se usassem arco e flecha e a pena na cabeça); o mesmo acontece com os africanos (negros dançando e/ou próximos a animais exóticos), fato este preconceituoso que tantos óbices, infelizmente têm trazido às comunidades afro-brasileiras.

Aproveitando o ensejo da publicação 101, postamos vídeo: “Umbanda, promovendo a diversidade”, na expectativa de que o leitor penetre nas várias nuanças discutidas em textos anteriores, agora discutidos em vídeo. Esperamos que o leitor tenha uma boa leitura e assista um vídeo que corrobora e amplia o texto . Axé!





P.S. O natal é nascimento para quem crê ou é adepto do cristianismo.

Para nós que somos adeptos de religiões de tradição oral, respeitamos o natal cristão, pois achamos uma celebração justa para seus adeptos, da mesma forma que desejamos sejam respeitadas nossas convicções, que eram tachadas de pagãs, pois não eram e não são cristãs.

Mas de qualquer forma aos cristãos ou não cristãos, um feliz natal, de renascimentos e reflexões que conduzam a paz e a luz perenes na mente e no coração. Axé!


Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 102

Um comentário:

  1. Ola, por indicação conheci seu blog e pouco á pouco estou conhecendo seu trabalho,apesar de ter me iniciado na umbanda não a pratico em meu templo.mas gosto de estar a par das ultimas noticias.Parabens e espero quer juntos possamos fazer mais e mais!!!
    Fiquem em paz!
    Mãe Adrianede oxalá

    ResponderExcluir