quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

...Mais do que Teólogos, agentes paradigmáticos de mudanças...


Todos desejamos a Paz no mundo, a resolução dos conflitos que nos causam tensões, sejam elas as guerras entre os povos ou a batalha cotidiana que cada um de nós enfrenta para conquistar, em primeiro plano, a sobrevivência e, quando muito afortunados, uma boa qualidade de vida.

Apesar da vontade global de conquista de uma estrutura social diferente, a impressão que temos é a de que tendemos à manutenção das desigualdades ou até ao agravamento das mesmas.

Duas causas podem ser apontadas para a persistência da fome, da doença, da guerra e da morte devastando nossa família planetária.

A primeira é a insistência em manter uma sociedade baseada na desigualdade dos valores político-econômicos que sobrepujam os valores humanos (individuais ou sociais). Assim, as soluções de progresso e globalização são sempre reféns da necessidade do lucro e, invariavelmente, ineficazes para a maioria. Temos, por conseguinte, uma sociedade estática, com uma pequena elite no centro, e a grande maioria da população na periferia, à margem dos processos de decisão e cultura.

A segunda causa é que os setores empenhados na busca da Paz, sejam ligados à Filosofia, à Ciência, à Religião ou à Arte pensam e atuam de maneira isolada, tomando caminhos divergentes, aumentando as tensões sociais.


Neste contexto fundou-se a FTU - Faculdade de Teologia Umbandista - como alternativa para a mudança do estado atual. Esta iniciativa pretende representar uma mudança de paradigmas provocando um abalo positivo e pacífico nesta estrutura estática com uma transformação qualitativa dos valores contemporâneos.

Elucidaremos agora como a FTU se credencia para colaborar com a realização de uma sociedade mais justa.

As religiões Afro-brasileiras ou Umbanda é habitualmente tida como uma cultura de periferia, até mesmo marginalizada e estigmatizada como idolatria pagã. Na verdade, as religiões Afro-brasileiras ou Umbanda oscilam entre a periferia e o centro, tendendo progressivamente a este último com o intuito de arrastar a periferia para o centro, equiparando valores e pessoas pelas igualdades que tem entre si.

A Umbanda procede desta forma porque entende que não há, em essência, qualquer diferença entre os que se encontram na base da pirâmide social e os que se posicionam, por força político-econômica, no topo. Além disso, a Umbanda prima pela universalidade de seus princípios e fundamentos filosóficos e doutrinários, podendo, de maneira singular, relacionar-se com todos os irmãos planetários, independente dos setores filosófico-religiosos ou estratos sócio-econômicos, culturais ou étnicos a que pertençam.

A fundação da Faculdade de Teologia Umbandista representa um avanço para as religiões Afro-brasileiras porque, no momento em que se dirige da periferia para o centro, traz consigo tudo o que existe na periferia, não apenas os umbandistas, mas a sociedade como um todo.

Outra questão fundamental é que a Faculdade de Teologia Umbandista preconiza a unidade e a universalidade entre todas as coisas, promovendo a convergência que se consubstancia na Paz Mundial. Na prática, significa respeitar a todos os setores filosófico-religiosos como corretos em seus pontos de vista, gerando uma convivência pacífica entre todas as religiões. A seguir, propõe a convergência, mostrando que o Sagrado está além dos pontos de vista e que podemos todos, gradualmente, transitar das formas particulares de entendimento para habitar na essência de todas as religiões que é o Sagrado.

Com este mote a FTU formou seus primeiros vinte e um teólogos, com os quais nos congratulamos na certeza de que serão promotores de saberes e fazeres elevando as religiões Afro-brasileiras à senioridade, em patamar de igualdade com as demais. Mais do que simples formados, serão cidadãos agentes em propugnar o movimento da periferia para o centro contribuindo para a extinção das desigualdades em todos os níveis.

Acompanha esta publicação a digitalização de um dos diplomas dos mais novos teólogos das Religiões Afro-Brasileiras ou Umbanda. Axé!


Diploma - Frente

Diploma - Verso





Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”
Publicação 100

Um comentário:

  1. Bênção, meu Mestre, meu pai.

    Esta mensagem que passa ao Universo é deveras importante.

    Muitos, infelizmente, ainda se encontram em certo entendimento e não percebem a importância deste evento. Outros, ainda têm muito a aprender para poder compreender a grandeza de tudo isso.

    Felizmente, há pessoas que veem com 'olhos de saber', isto é, "enxergam". Essa é uma grande luta e imensa missão que o senhor nos possibilita vivenciar neste momento, nos fortalecendo, nos levando a alçar caminhos ainda mais amplos.

    Todo esse movimento irá reverberar e certamente irá ocasionar um efeito, que por si só levará a mais consciências, abrindo-lhes a esse canal de luz, sabedoria, paz mundial.

    Como sua Filha Espiritual e aluna da FTU, sinto-me honrada de estar caminhando junto com todos.

    Aproveito para agradecer e parabenizar a todos que fizeram de tudo para que isso acontecesse, principalmente o senhor, que é o norteador dessa missão importantíssima para a Umbanda, para o Umbandista, para a coletividade e para o irmão planetário.

    Saravá !

    Fatima Desombergh

    ResponderExcluir