quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Diálogo Intrarreligioso é Histórico...


As religiões afro-brasileiras vêm grassando o respeito com a diferença, com a alteridade como forma de propiciar paz e união entre todos. A obviedade nos aponta para nossos pares, mas também para outras religiões, ou mesmo outros setores do conhecimento humano.

Não há sentido as dissensões por dentro de uma mesma religião ou grupos afins. O mesmo se dá em relação a outras religiões. O que as religiões afro-brasileiras, por intermédio da FTU e seus parceiros, vem protagonizando é o diálogo como forma de reconhecimento das diferenças apoiando-se no eixo das semelhanças. Somos mais semelhantes que diferentes, e melhor, somos iguais, isto é, não há hierarquização, nenhuma religião ou grupo é melhor que o outro.

Vivenciando o diálogo que promove a paz estivemos em visita a dois templos das religiões afro-brasileiras, sendo o Ilê Axé de Oxossi e Yansã dirigido por Baba Odesilê (Pai Carlinhos), em Campinas – SP e o Templo de Umbanda Anjos da Caridade, dirigido por Pai Tadeu (Ytabayara) – Americana – SP.

Fomos acompanhados de vários filhos espirituais que se confraternizaram com outros “Irmãos de Santo” dos templos citados.

Aproveito o ensejo para agradecer aos irmãos citados pelo trabalho, respeito e competência na realização de seus eventos sócio-espirituais. Aos dois Pais de Santo – Odesilê e Tadeu – nossas sinceras congratulações e muito grato pela recepção e hospitalidade.

Estas e outras iniciativas que propiciam a união das religiões afro-brasileiras devem continuar. São fatores importantes na incrementação da união e da real fraternidade as quais devem reger a consciência e o sentimento de todos os adeptos das religiões afro-brasileiras. Queremos agradecer a permissão para postarmos no blog alguns registros em fotos que foram feitos nos dois templos citados. Axé!

Ps: Clique na foto para ampliá-la!


















Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 92

Um comentário:

  1. Foram momentos únicos. Ímpares! O que o Mestre nos ensina, a mais nobre e mais importante lição ao meu ver, é aprender a reverenciar todos os ritos, todos os filhos, todas as linhas, todas as diferenças. Aliás, as diferenças aqui, tornam-se semelhanças. Paz e união entre todos. Minha eterna gratidão. Pelo (re)encontro, pela oportunidade, pela experiência, pelo aprendizado. Pela Vida.

    ResponderExcluir