segunda-feira, 3 de maio de 2010

Transtorno de Ansiedade: Transtorno de Estresse Pós Traumático

RESUMO

Após relato de caso, iniciaremos a discussão do transtorno de estresse pós traumático (TEPT) que tem trazido muitos transtornos, sofrimentos a várias pessoas que tiveram e tem suas vidas modificadas, alteradas.

O TEPT é uma condição desenvolvida quando uma pessoa vê, ouve ou é envolvida por um estresse traumático externo (no caso do paciente, o acidente de moto). O diagnóstico não é difícil, pois a anamnese, e os fatos declarados pelo paciente, chama a atenção os sintomas estar durando mais de 3 meses após o acidente, e tem afetado de modo significativo áreas importantes da vida familiar, profissional e emocional.

Em nossas breves considerações sobre TEPT, talvez nos interesse mais os aspectos pré-traumáticos nos quais acreditamos estar a etiologia básica do TEPT. Aos olhos da medicina integrativa, que não se confronta com a medicina acadêmica, a predisposição subjetiva de um estressor pode determinar seu poder traumatogênico, ou melhor, acontecimentos traumáticos podem entrar em ressonância com traumas não somente na infância, mas nas várias existências vividas, com seus consorciados de paz ou de luta; eis aí o enigma, que com tranquilidade e persistência, nós humanos iremos decifrar.

Palavras-Chave: Anamnese, Estresse traumático externo, Medicina Integrativa, Transtorno de Estresse Pós Traumático, Trauma na infância.

ABSTRACT
After a case report, we will begin the discussion of post traumatic stress disorder (PTSD) that has brought a lot of trouble and suffering to several people who had and have their lives changed, altered.

The PTSD is a condition that develops when a person sees, hears or is surrounded by an external traumatic stress (in the case of the patient, the motorcycle accident). The diagnosis is not difficult since the history and the facts stated by the patient, draws attention to the symptoms being lasting more than three months after the accident, and has significantly affected important areas of family life, professional and emotional.

In our brief considerations about PTSD, we’re maybe more interested in pre-traumatic aspects in which we believe is the basic etiology of PTSD. In the eyes of integrative medicine, which is not facing academic medicine, the subjective bias of a stressor can determine their traumatogenic power, or rather traumatic events may resonate with not only childhood traumas, but lived in different existences, with its consortium of peace or fight; behold the enigma that quietly and persistently, we humans will decipher.

Keywords: Clinical history, external traumatic stress, Integrative Medicine, Post Traumatic Stress Disorder, Trauma in childhood.

TRANSTORNO DE ANSIEDADE

TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO

Paciente, 40 anos, masculino, procura o concurso médico, pois vem apresentando sintomas que surgiram após um acidente de moto em que esteve envolvido.

Quando se dirigia para o litoral, teve um acidente grave na rodovia, segundo relato não percebeu uma poça de óleo e sua moto derrapou. Ao derrapar perdeu o controle da moto, que se desestabilizou, arrastando-o por vários metros, direcionando-se e invadindo a pista em sentido contrário.

Relata ter ficado inconsciente, tendo despertado quando estava no hospital, após passar por cirurgia abdominal (rompimento do baço) e politraumatismo (vários traumas). O paciente ficou 45 dias hospitalizado, felizmente sem nenhuma intercorrência, o quadro evoluiu favoravelmente, todavia passaram-se 3 meses do acidente e ainda continuavam os sintomas que o fez procurar auxílio profissional, o médico.

Seus sintomas são basicamente insônia ou dificuldade de adormecer (pois se lembra do momento da moto caindo), fica apavorado em pensar utilizar a rodovia em que aconteceu o acidente, aliás, tem verdadeiro pavor de qualquer estrada, e nunca mais quer pilotar uma moto. Apresenta dificuldade de atenção ao ambiente e com pesadelos diários sobre o acidente, algo que o faz sentir-se mais culpado e envergonhado. Diz não aceitar o acontecimento, pois acredita que poderia tê-lo evitado.

Após relato desse paciente, iniciaremos a discussão do transtorno de estresse pós traumático que tem trazido muitos transtornos, sofrimentos a várias pessoas que tiveram e tem suas vidas modificadas, alteradas.

Pelo relato do paciente observamos que o transtorno sério e grave pode ser diagnosticado como estresse pós-traumático (TEPT).

O TEPT é uma condição desenvolvida quando uma pessoa vê, ouve ou é envolvida por um estresse traumático externo (no caso do paciente, o acidente de moto).

O caso descrito revela que a experiência negativa sofrida pelo paciente, fez que reagisse com medo, impotência, revivendo de forma persistente o acontecimento e tenta livrar-se dele.

O diagnóstico não é difícil, pois a anamnese, e os fatos declarados pelo paciente, chama a atenção os sintomas estar durando mais de 3 meses após o acidente, e tem afetado de modo significativo áreas importantes da vida familiar, profissional e emocional.

O quadro clínico é o que normalmente atinge vários pacientes que são submetidos aos fatores estressores. O quadro clinico desenvolvido deve-se, além dos fatores estressores os de vulnerabilidade predisponentes ao TEPT.

Para melhor entendermos o que seja a vulnerabilidade, citaremos alguns fatores. Um fator importante é o decorrente de trauma na infância (qualquer que seja principalmente se houve acidente em que a criança viu e participou). Não podemos deixar de citar as pessoas com traços de personalidade boderline, paranóide, dependente ou anti-social.

Outro agente que aciona o gatilho (vulnerabilidade) é a predisposição genética à doença psiquiátrica. Podemos incluir pessoas que não tiveram apoio adequado da família ou de colegas. Há também agonistas que facilitam o estresse, como mudanças estressantes recentes na vida do indivíduo, o mesmo acontecendo quando houver ingestão de álcool.

Muitas pessoas quando confrontadas com traumatismos excessivos não experimentam os sintomas do TEPT. De forma similar, acontecimentos que podem parecer triviais ou menos do que catastróficos para a maioria das pessoas são capazes de produzir o transtorno em algumas.

Etiologicamente, além dos fatores de risco (já citados) há os fatores psicodinâmicos, cognitivo-comportamentais e os fatores biológicos.

Sumarizando, o fator psicodinâmico postula a hipótese de que o traumatismo reativou um conflito psicológico prévio adormecido e ainda não resolvido. No caso, o trauma da infância leva a regressão e ao uso de vários mecanismos de defesa. Freud aventava a hipótese do splitting (dissociação da consciência). O ego revive e, dessa forma, tenta dominar e reduzir a ansiedade. É digno de nota citar que as pessoas que sofrem de alexitimia, incapacidade de identificar e verbalizar estados de sentimentos, são incapazes de se auto confortar quando sob estresse.

O modelo cognitivo-comportamental postula que as pessoas afetadas não podem processar ou racionalizar o trauma que precipitou o transtorno. Enfim, não conseguem de forma completa bloquear o trauma. Quanto ao modelo de fator biológico realçam o mecanismo desencadeado pelos sistemas de neurotransmissores.

Por afastar-se de nosso propósito, deixaremos de discutir, mas citaremos o sistema noradrenérgico, sistema de opióides e o fator de liberação do corticotropina (CRF). Os interessados em aprofundar-se nos sistemas biológicos citados encontrarão magníficos trabalhos na bibliografia constante no final do texto.

Encerrando nossas breves considerações sobre TEPT, talvez nos interesse mais os aspectos pré-traumáticos nos quais acreditamos estar a etiologia básica do TEPT. Aos olhos da medicina integrativa, que não se confronta com a medicina acadêmica, a predisposição subjetiva de um estressor pode determinar seu poder traumatogênico, ou melhor, acontecimentos traumáticos podem entrar em ressonância com traumas não somente na infância, mas nas várias existências vividas, com seus consorciados de paz ou de luta; eis aí o enigma, que com tranquilidade e persistência, nós humanos iremos decifrar. Com certeza, o faremos. Iremos fazê-lo!

Deixaremos para a próxima publicação a terapêutica, o tratamento do TEPT. Na oportunidade disponibilizamos vídeo que retrata as vivências terapêuticas manifestadas nas religiões afro-brasileiras.

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá

Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico

Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar”

Publicação 33

Bibliografia

Aspectos Psicológicos e Psiquiátricos

· ANDRADE, Arthur Guerra de. ALVARENGA, Pedro Gomes.Fundamentos de Psiquiatria. 1. ed. Barueri: Manole, 2008, 644p.

· AUSIELLO, Dennis. GOLDMAN, Lee. Cecil - Tratado de Medicina Interna - 2 Vols. 23. ed. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2009, 2688p.

· BICKLEY, Lynn S. Propedêutica Médica – Bates. 8. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 928p.

· HALL, Calvin S. LINDZEY, Gardner. CAMPBELL, John B.Teorias da Personalidade. 4. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2000, 591p.

· KAPLAN, Harold I., SADOCK, Benjamin J. Tratado de psiquiatria. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 1999, 1486p.

· MURPHY, Michael J. COWAN, Ronald L. Psiquiatria – Murphy – Série Blueprints. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. Revinter, 2009, 152p.

· PADRO, Cintra do. VALLE, Ribeiro do. RAMOS, Jairo.Atualização Terapêutica. 23. ed. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 2007, 2400p.

· PAIN, Isaias. Tratado de Clínica Psiquiátrica. 3. ed. São Paulo: E.P.U. Ed, 1991, 370p.

· PINHEIRO, Raimundo. Medicina Psicossomática – Uma abordagem clínica. 1. ed. São Paulo: Fundo Editorial DYK, 1992, 125p.

· PORTO, Celmo Celeno. PORTO, Arnoldo Leme. Semiologia Médica. 6. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 1356p.

· SÓFOCLES. Édipo Rei. 1. ed. Porto Alegre: L&PM, 2001, 104p.

Aspectos Religiosos

· RIVAS NETO, Francisco. Do Sincretismo à Convergência. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE UMBANDA DO SÉCULO XXI, São Paulo: Faculdade de Teologia Umbandista, 2010.

· RIVAS NETO, Francisco. Sacerdote, Mago e Médico : cura e autocura umbandista: terapia da alma. 1. ed. São Paulo: Ícone, 2003, 493p.

· RIVAS NETO, Francisco. Vídeo-Aula 19: A ciência do Orixá - Parte 2 - Psicanálise e Arquétipos dos Orixás. Disponível em:mms://wm01.mediaservices.ws/ftu12-ondemand/FTU_VIDEOAULA_19.wmv. Acesso em: 17 abr 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário