quinta-feira, 4 de março de 2010

História cronológica de nossa tarefa mediúnica

Em publicações anteriores homenageamos nossos Mestres na Medicina. Assim, mais do que justo, estamos homenageando alguns dos Mestres que nos formaram para a vida espiritual.

Não conseguimos fotos do Tio Ernesto de Xangô, mas este registro está gravado em nossa retina espiritual para toda a eternidade.


Pai de Santo que me iniciou na Umbanda (1965)


Caboclo Pedra Branca firmando ponteiro no seu ponto riscado


Pai de Santo de predicados ímpares que fez nossa “Coroa” (1967)


Pai Roberto mediunizado por Caboclo Guarantan firmando seu ponto.


Pai Sebastião do Congo incorporado em Pai Roberto


Nosso primeiro templo : Rua Lord Cockrane, 613
Em primeiro plano, da esquerda para a direita: Terezinha de Moraes (namorada, com 16 anos de idade), Yara (irmã com 3 anos de idade) e Regina (irmã, com 13 anos de idade).


Pai Matta e Silva no primeiro plano, em seu Templo iniciático.


Pai Matta e Silva no primeiro plano, em seu Templo iniciático.


Pai Matta em 1977 com Mãe Salete, sua esposa em Itacuruçá


Nosso Templo de Umbanda com piso de areia do mar (1977)


Pai Matta no dia 17/12/1988 na transmissão do comando da raiz.


Pai Matta em nosso templo (SP) antes de realizar um casamento.


Pai Matta em palestra no Centro de Convenções em SBC (1980)


Pai Matta nos presenteia com os sinais riscados que representam as Ordens e Direitos estendidas ao Pai Matta por Pai Guiné 1946 (foto de 1983)

Pai Guiné realizando o rito de Transmissão do comando da Raiz (Dezembro/1987)


Dezembro/1987


Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá



Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar"

Publicação 16

5 comentários:

  1. Thomé Sabbag Neto4 de março de 2010 09:38

    Mestre, sua Bênção!
    Compartilhar a sua história conosco faz com que possamos reafirmar o valor da nossa própria história com o senhor.
    Afinal de contas, a história é uma só: a da ancestralidade viva, que é reafirmada pela descendência, no ato de lembrança.
    Dizem que a memória (Mnemosine) é filha de Urano e Gaia. O ato de lembrar une o passado ao futuro, reatualizando seu potencial e tornando-o eternamente vivo na mente e no coração dos descendentes...
    Que eu possa continuar fazendo parte dessa história, como seu filho, honrado e eternamente grato.
    Vida longa ao senhor e à Linhagem que re-presenta (que torna novamente presente)!
    Sua Bênção!

    ResponderExcluir
  2. Mestre,
    Permita-me pedir,incansavelmente, suas bençãos.
    A história não se faz apenas de palavras mas sobretudo de realizações. Essas fotos são prova viva de uma trajetória marcada de sucesso espiritual.
    O sentimento é de infinita gratidão por fazer parte dessa linhagem e que eu posso ser uma filha espiritual à altura de meu Mestre, representando suas idéias não apenas no verbo, mas seguindo seus exemplo, na vida.
    Que a Espiritualidade Superior possa sempre iluminar Seu caminho para que assim ilumine o de muitos outros.
    Bençãos,
    Yacyrê.
    Discípula honrada de Pai Rivas - Mestre Arhapiagha)

    ResponderExcluir
  3. Peço sua bênção, Mestre, para expressar nossa satisfação por ver o cuidado na preservação dessas memórias, expressas pelo registro fotográfico de momentos tão importantes de sua vida, que nos dão uma dimensão mais visível de nosso próprio momento. Que todos nós tenhamos o mesmo cuidado na preservação de nosso legado...

    ResponderExcluir
  4. Nossa que linda essas fotos, parabéns Pai Rivas Neto pela sua história!

    Poderia lançar uma biografia, fica a dica :)

    ResponderExcluir
  5. Benção, Mestre!
    Muitas saudades da convivência física, concreta ainda...
    Porém Mestre a convicção na eternidade da convivência espiritual acalenta, consola e impulssiona-me no caminho...

    ResponderExcluir