quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Resenha dos textos postados


Os textos postados no blog expressam descobertas e pressupostos que defendemos sobre Espiritualidade e Ciência. Pela primeira vez a Espiritualidade é apresentada como sendo inerente a todo ser humano, independente de ser ou não religioso.

Como os textos apresentam teorias e práticas que, podemos dizer inéditas, faremos uma breve resenha necessária, proporcionando ao leitor a oportunidade de entender de forma rápida o tema central de nossos textos, expresso nas linhas que se seguem.

1. A Espiritualidade é inerente a todo ser humano vivente no interior dele.

2. À mente associamos a estrutura defendida por Freud. A porção inconsciente da mente representa a maior parte. A porção consciente representa a menor parte.

3. Nos textos afirmamos que o inconsciente se divide em inconsciente superficial e profundo. O INCONSCIENTE PROFUNDO É A ESPIRITUALIDADE.

4. Como todo ser humano tem o inconsciente profundo, todos têm Espiritualidade, porém, é necessário acessá-La.

5. Como acessá-La? A resposta é a principal finalidade do blog, que segundo nossos pressupostos, demonstraremos nos textos que seguirão.

6. A Espiritualidade encontra-se em todas as religiões, transcende-as, não sendo monopólio de nenhuma delas. Todas as religiões são nobres e santas em suas aspirações, todavia não são os únicos métodos de acesso à Espiritualidade. Outros métodos (forma mediata) são encontrados na ciência, na filosofia, na arte e na cultura.

7. O acesso imediato à Espiritualidade é realizado quando se vence a barreira do inconsciente superficial (mente sutilíssima), penetrando no inconsciente profundo (mente indiferenciada).

8. Os quatro pilares do conhecimento humano são métodos de acesso à Espiritualidade. Apesar de serem métodos não possuem monopólio da Mesma, pois Ela é inerente a todo ser humano, vivente no seu interior, independente dele ser religioso, cientista, filósofo ou artista.

9. Estamos levando à discussão teoria e prática que há tempo utilizamos, principalmente por intermédio de vários ritos das religiões afro-brasileiras. Os ritos de fundamento evocam, trazem o conteúdo do inconsciente decodificado e traduzido para o consciente, como forma gradativa de acesso efetivo à Espiritualidade. Os ritos promovem saúde física, afetiva, mental, prosperidade e bons augúrios, enfim sustentabilidade com qualidade de vida otimizada.

10. Além do primeiro aspecto, relativo aos ritos de fundamento, temos o segundo aspecto, que desenvolvemos na prática da medicina complementar ou integrativa em vivências-terapia breve ou focal (4 a 12 sessões) e/ou continuada (mais que 12 sessões).

11. Ambos os aspectos promovem à Espiritualidade. Removem, de forma atraumática, os óbices do inconsciente superficial que impedem o acesso ao inconsciente profundo, trazendo benefícios espirituais, mentais, emocionais, físicos, sociais e culturais (o indivíduo vai se conscientizando da Espiritualidade).

12. Pretendemos com esse pressuposto divulgar a universalidade da Espiritualidade - a “ciência de ser espírito” que reiteramos, independe do indivíduo ser ou não religioso. Com esse propósito promovemos cursos, palestras, seminários, vivências, workshops etc.

13. Quando afirmamos: a Espiritualidade é inerente a todo ser humano, constatamos que Ela é pela inclusão total, não há privilegiados, todos são contemplados. A meta é fazer chegar a toda comunidade planetária a alvissareira constatação.

14. Nos textos utilizamos fundamentos da Ciência, em especial da medicina, que tomamos como ferramenta analógica, não vendo nisso nenhum embargo para o entendimento dos textos. Como a medicina esta associada à cura, estendemos a mesma ao espiritual, mental, emocional, corporal e social.

Encerrando a breve resenha, reiteramos que o acesso imediato à Espiritualidade independe de métodos tradicionais preconizados pelas religiões, artes, ciências e filosofias. Esperamos, nas futuras publicações (textos ou vídeos), desenvolver e ampliar o diálogo que nos remeta à Espiritualidade.

Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Salve, Saravá



Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar"

Publicação 12

6 comentários:

  1. Peço Sua Benção Mestre!
    Aranauan, Saravá, Axé, Motumbá, Mucuiú, Kolofé a todos os irmãos planetários!

    A publicação desta quinta ratifica e, ao mesmo tempo, amplia a minha visão sobre o tema "Espiritualidade e Ciência".

    Ratifica a confiança que temos na aproximação dos diversos setores da gnose humana de maneira pacífica e atraumática, tornado tangível a tão propalada Cultura de Paz.

    Amplia, pois ao apresentar a Espiritualidade como algo inerente a todo ser humano torna-A acessível para todos. Basta utilizar o método adequado que pode estar nas religiões, ciências, filosofias e artes sem, contudo, ser domínio exclusivo de nenhuma em específico.

    Finalizando, o texto coloca de forma clara e transparente a proposta que norteia todas as publicações deste blog e nos estimula a participar de forma crescente. Obrigado meu Pai pela oportunidade de poder dialogar com o Senhor na leitura de cada texto, uma verdadeira terapia para a minha alma.

    Aranauan
    Yabauara

    ResponderExcluir
  2. É realmente inovadora essa abordagem da Espiritualidade! É por meio dela que a Humanidade poderá finalmente constatar que não há divergências possíveis entre os Quatro Pilares do Conhecimento Humano, pois cada um deles tem sua linguagem própria, seu método específico e sua finalidade particular. Toda divergência é falsa e só aparente, embora toda a história do ocidente moderno esteja fundada na separação conflituosa ou indiferente entre eles.
    E a convergência entre eles é a única forma de percebermos que o Sagrado e a Espiritualidade os transcende, embora se manifeste neles.
    A complexidade das relações entre os Quatro Pilares exige de nós a integralidade de nosso Ser. Precisamos ser íntegros para compreendê-los em profundidade.
    Peço Bênção aos Mestres da Convergência, que entregam à Humanidade sempre novas possibilidades de entender o mundo e a si mesmos!
    Curvo-me respeitosamente diante daquele que, incansavelmente, procura fazer-me enxergar a necessidade de ser todo, uno e inteiro. De Ser Espírito, enfim!
    Vida Longa a Mestre Arhapiagha!

    ResponderExcluir
  3. Bênção meu Pai!

    Excelente resenha das principais idéias apresentadas nos textos anteriores. Com ênfase no caráter de inexclusividade da Espiritualidade por qualquer um dos pilares do conhecimento, centralizando-a no homem e, portanto, não mais monopólio das religiões.

    Não pude deixar de pensar que o novo conceito ultrapassa em essência e em consequências a famosa “Declaração Universal dos Direitos Humanos”. Esta última pede uma atitude de “fé nos direitos fundamentais” e o conceito de Espiritualidade, ao contrário, é um alicerce seguro e universal para uma proposição de Cidadania Planetária e de Paz Mundial, que o senhor já vem fazendo à muito tempo.

    Retomando a questão sob o ponto de vista do indivíduo, a asserção de que a Espiritualidade se encontra no inconsciente profundo, seu acesso não poderia ser considerada tarefa prosaica, assim como romper as fronteiras entre os diferentes saberes não pode ser imaginada como mera aglutinação do conhecimento já acumulado. O acesso ao inconsciente profundo e a convergência dos saberes pela síntese exigem igualmente muito esforço, vivência, tempo e principalmente direcionamento e assistência espiritual superior.

    A construção de um verdadeiro novo mundo, penso, poderá ser urdida pelo “fio de Ariadne” da Espiritualidade que nos conduzirá para fora do labirinto de séculos de ilusão. Vivemos realmente tempos auspiciosos de luzes na aurora deste novo milênio.

    Peço novamente a sua bênção.

    Aratish

    ResponderExcluir
  4. Sua bênção, Mestre!
    Experimentamos em suas palavras a oportunidade de trazer para nosso consciente tudo aquilo que vivenciamos na prática do terreiro. Que todos nós consigamos estender essa prática além do cenário religioso, em uma vivência que alcance todos os demais campos em que atuamos, de forma cada vez mais intensa e natural.
    Aranauan,
    Fernando Pinto

    ResponderExcluir
  5. Pai Rivas,- Bokum, Odé gbéo!
    Fantásticas suas colocações. Louvo a forma como o sr aborda a abertura que todos nós seres humanos temos para o transcendente, e das colocações a cerca das várias formas e ferramentas que temos de acessar nosso conteúdo inconsciente, permita-me propor uma reflexão: Não seria este conteúdo inconsciente fruto de nossa memória ancestral, haja visto que a umbanda como outras tradições religiosas afro-ameríndias descendentes têm a reencarnação como dogma? - O efeito benéfico das experiências litúrgicas afro- descendentes que o sr se refere, que são como bálsamo para os males físicos, mentais, emocionais e até sociais, não seria fruto de um econtro do indivíduo com o seu "eu" mais profundo, latente em sua memória de vidas passadas, e que ao ser tocado, massageado, extraído e conduzido à dimensão consciente, causa a sensação Imediata de bem estar, de fortalecimento, de segurança?
    Pai, fico ansioso para descobrir quais as bases mitológicas próprias da umbanda que embasam estes ritos tão eficazes? porque o sr os chama de ritos de fundamento?, existem outros ritos que não são de fundamento? quais as diferenças?
    O sr fala de espiritualidade e ciência, em especial da medicina, a medicina cuida do somático, Mais uma vez fico curioso para descobrir quais as bases psicológicas, teológicas e filosóficas da Umbanda? serão as mesmas do Cristianismo? onde elas estão contempladas? Desculpe-me por tantas perguntas, ajude-me a desvendá-las.

    ResponderExcluir
  6. Começou uma nova etapa na minha vida cheia de alegria e felicidade junto a meu pai que com Orgulho levo no meu coração e não espirito.
    Tenho certeza que cada dia que passa fico mais perto do caminho certo e tenho a convicção que a Umbanda é esse caminho muito axé para todos meus irmãos Saravá meu pai Arhapiagha

    ResponderExcluir