segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Complemento do texto "Introdução às Doenças Psíquicas" - Demência – Loucura ou Fissura?


Resumo

A demência, segundo a medicina tradicional, é caracterizada por limitações graves na memória, no julgamento, na orientação e na cognição, e se divide em 6 subcategorias. A demência é caracterizada por déficit cognitivo na presença de nível estável de consciência. Os déficits cognitivos múltiplos incluem comprometimento da memória, sem consciência prejudicada. A demência pode ser progressiva ou estática, tudo na dependência da etiologia.

A mente se manifesta de forma sutilíssima, sutil e densa. O inconsciente profundo promove a saúde, o equilíbrio e a harmonia psicossomática e por decorrência a sustentabilidade do ser humano. Neste contexto, a demência e a maioria das outras doenças são manifestações do indivíduo doente. O mecanismo deve-se a um trânsito anômalo entre as várias camadas do inconsciente superficial, ou seja, não transita para o consciente de forma decodificada e traduzida. Esse fenômeno ocasiona patologias várias no cérebro, órgão de manifestação da mente.

Palavras-Chave: Demência, Espiritualidade, Inconsciente, Mente

Abstract

Dementia, according to traditional medicine, is characterized by severe limitations in memory, judgement, orientation and cognition, and is divided into 6 subcategories. Dementia is characterized by cognitive impairment in the presence of stable level of consciousness. The multiple cognitive deficits includes memory impairment, without impaired consciousness. Dementia can be progressive or static, all based on the etiology.

The mind manifests itself in a very subtle and dense form. The deep unconscious promotes health, balance and psychosomatic harmony and consequently, the sustainability of human beings. In this context, dementia and most other diseases are manifestations of the ill person. The mechanism is due to an anomalous traffic between the various layers of the unconscious surface, in other words, not carried over to the conscious in a decoded and translated form. This phenomenon causes several diseases in the brain, an organ of manifestation of the mind.

Keywords: Dementia, Spirituality, Unconscious, Mind

COMPLEMENTO DO TEXTO "INTRODUÇÃO ÀS DOENÇAS PSÍQUICAS"
Demência – Loucura ou Fissura?

Estando no hospital à cabeceira de um paciente, acompanho dois doutores em medicina, Profs. Drs. Alberto Hadd e Maurício Aied, discutindo um caso clínico com três residentes. Sim, eles estavam acompanhando o quadro clínico, pois já eram médicos no término da residência e eu como quintoanista acompanhava como podia e procurava ao máximo aproveitar a oportunidade rara de aprender mais. Como médicos formados os R3 (no terceiro ano de residência) discutiam o caso clínico diagnosticado como embolia pulmonar, que evoluiu cursando com psicose orgânica (demência).

Na discussão do caso ouvíamos um residente sugerir uma avaliação psiquiátrica, delicadamente refutada pelos professores que praticamente falaram ao mesmo tempo: "A dificuldade em reconhecer uma psicose orgânica é um erro capital em medicina. A diferenciação com as "psicoses funcionais" geralmente não é difícil".

Esse fato ocorreu há 35 anos e dele nos lembramos como se fosse hoje. A bem da verdade não posso deixar de homenagear os professores, verdadeiros "baluartes da arte hipocrática", como também agradecê-los por permitir acompanhá-los antes de estar formado, e mesmo depois de formado, pela honra e felicidade rara que tivemos de tê-los como colegas trabalhando nos mesmos hospitais.

Por intermédio deles concluí minha formação acadêmica e profissional, dedicando-me à cardiologia. Com eles conheci outros verdadeiros mestres e gostaria de citá-los, pois foi com eles que aprendi respirar e viver medicina. Meu respeito, pois, em dimensão gratidão aos Drs.: Michel Batlouni, José Hortêncio Medeiros Sobrinho, Luis Andreoni Marsaioli, Alfredo Duarte Cabral, Ivan Petisco, Josef Feher, José Eduardo Morais Rego Souza, Hélio de Magalhães, Leopoldo Piegas, e a Dra. Maria Virginea Dias da Silva e muitos outros a quem devo minha formação como médico e muito que sou como ser humano.

Citando-os, quisemos homenageá-los pelos grandes exemplos, conselhos, ensinamentos e aberturas em nosso consciencial, mas principalmente por serem humanitários. Isso fazia-os "curadores". Que a luz possa iluminar suas mentes e a paz esteja em seus corações para sempre. Eles merecem!

Não estamos invocando seus nomes como avalistas de nosso trabalho, mas para dizer-lhes que na gratidão devotada a eles, por seus pacientes, inclua-se a nossa. Voltando nossa atenção na fala uníssona dos professores à cabeceira do doente, na atualidade temos outra nomenclatura e conceituação. Eram definidos como transtornos orgânicos os que tinham condição patológica identificável, como tumor cerebral, doença cérebro vascular ou intoxicação. Aqueles que não apresentavam base orgânica aceita (como a depressão) eram denominados transtornos funcionais.

Essa distinção entre os dois transtornos está desatualizada e foi abolida da nomenclatura. A única "conclusão imparcial" a ser feita é que todos os transtornos psiquiátricos possuem componente orgânico, isto é, biológico ou químico. Portanto segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM – IV – TR) os termos "orgânicos ou funcionais" não são mais usados.

Em consonância com o DSM-IV-TR, três grupos de transtornos –delirium, demência e transtornos amnésticos – são caracterizados por um sintoma primário comum, que é o comprometimento da cognição (memória, linguagem ou atenção). Dos três transtornos que podem fazer parte do diagnóstico diferencial, nos ateremos à demência. Sucintamente, despenderemos conceitos relativos à medicina complementar, sintonizada com a Espiritualidade, pedra angular de nossas teorias e práticas.

A demência, segundo a medicina tradicional, é caracterizada por limitações graves na memória, no julgamento, na orientação e na cognição, e se divide em 6 subcategorias:

1. demência do tipo Alzheimer

2. demência vascular

3. induzidas por substâncias como vapores de gasolina e atropina

4. etiológicas (causas múltiplas)

5. idiopáticas

6. traumatismo craniano, doença de Pick, doença de Creustzfeldt-Jakob

A demência é caracterizada por déficit cognitivo na presença de nível estável de consciência. Os déficits cognitivos múltiplos incluem comprometimento da memória, reiteramos, sem consciência prejudicada. A demência pode ser progressiva ou estática, tudo na dependência da etiologia. Há casos idiopáticos, isto é, não se consegue identificar a causa ou causas desencadeantes.

Epidemiologia, quadro clínico, diagnóstico, tratamento e prognóstico, sob o ponto de vista da medicina tradicional, poderão ser encontrados na bibliografia constante no final do texto. Depois dos fundamentos acadêmicos expendidos sobre demência, penetremos nos aspectos espirituais.

Iniciemos nossos estudos buscando o entendimento de como o inconsciente profundo promove a saúde, o equilíbrio e a harmonia psicossomática e por decorrência a sustentabilidade do ser humano. Para tanto idealizamos um fluxograma bidirecional que segue abaixo.

Fluxograma da "mente"



Nos textos precedentes (5ª e 7ª publicações) vimos que o inconsciente profundo é a própria Espiritualidade. O mesmo se manifesta em inconsciente superficial, consciente e corpo. Para fins de estudos associamos o inconsciente profundo à mente indiferenciada. Sua primeira manifestação se apresenta como inconsciente superficial associado à mente sutilíssima, delicado invólucro da Essência, do ser espírito. A segunda manifestação é a do consciente, também chamado de mente sutil. Por último temos o corpo físico ou mente densa.

Após os conceitos expressos chegamos à conclusão que tudo é mente. Sim, afirmamos que a mente se manifesta de forma sutilíssima, sutil e densa, são seus vários níveis de manifestação. Continuaremos teorizando, pois estes conceitos construímos e aperfeiçoamos segundo visão e experiência próprias tendo por base teorias consagradas como a de Freud e outros.

Tentemos explicar o fluxograma da mente que nos remete a unidade psicossomática. Tudo se inicia no inconsciente superficial que é a primeira manifestação do inconsciente profundo (mente indiferenciada). O conteúdo do inconsciente superficial (mente sutilíssima) transita para o consciente (mente sutil), que também recebe conteúdos do meio. Por sua vez o consciente faz transitar sua experiência-vivência (desde o nascimento) para o corpo que com seus sistemas, órgãos, tecidos, células, organelas e biomoléculas faz a leitura e torna manifesto pensamentos e sentimentos em ações comportamentais. Esse é o aspecto positivo que proporciona harmonia e equilíbrio psicossomático.

Sabemos que os conceitos por nós grassados não são fáceis e por serem inéditos causam impactos e impedâncias várias, o que é natural, por isso os colocamos em discussão. Quando afirmamos que são inéditos, pois nunca foram discutidos, assim o fizemos não para que fôssemos tido como iluminados ou melhor que os outros, mas para darmos nossa contribuição para a melhoria de vida planetária. Os conceitos são frutos de nossa formação acadêmica e, principalmente, de nossa vivência e busca da Espiritualidade.

Mas e a demência? A demência e a maioria das outras doenças são manifestações do indivíduo doente. O mecanismo deve-se a um trânsito anômalo entre as várias camadas do inconsciente superficial, ou seja, não transita para o consciente de forma decodificada e traduzida. Esse fenômeno ocasiona patologias várias no cérebro, órgão de manifestação da mente, conceito que comentaremos em futuros textos. Também não podemos olvidar as influências nefastas de outras mentes, que por si só podem desencadear o quadro de demência com todo o séquito de sinais e sintomas oriundos do sistema nervoso central em suas várias regiões funcionais.

No término do texto queremos reafirmar que a mente em suas várias acepções, em diferentes níveis de energia transitando de forma normal é a responsável pela higidez psicossomática. O contrário traz doenças de todos os matizes. Mas o que é a mente senão a primeira "vestimenta" de nossa essência? Sim, a mente traduz os desvarios perpetrados por nós mesmos no decorrer do espaço-tempo. Ela é a amostra fidedigna de quanto nossa essência se percebe como una ou fragmentada. Quando una, mais próxima se encontra da Espiritualidade. É o que desejamos para todos nós, Espiritualidade, saúde e sustentabilidade.


Aranauam, Motumbá, Mucuiú, Kolofé, Axé, Saravá


Rivas Neto (Arhapiagha) – Sacerdote Médico
Ifatosh'ogun "O sacerdote de Ifá que tem o poder de curar"

Publicação 09

Bibliografia

Aspectos Psicológicos e Psiquiátricos

· ANDRADE, Arthur Guerra de. ALVARENGA, Pedro Gomes.Fundamentos de Psiquiatria. 1. ed. Barueri: Manole, 2008, 644p.

· AUSIELLO, Dennis. GOLDMAN, Lee. Cecil - Tratado de Medicina Interna - 2 Vols. 23. ed. Rio de Janeiro: Ed. Elsevier, 2009, 2688p.

· BICKLEY, Lynn S. Propedêutica Médica – Bates. 8. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 928p.

· MURPHY, Michael J. COWAN, Ronald L. Psiquiatria – Murphy – Série Blueprints. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. Revinter, 2009, 152p.

· PADRO, Cintra do. VALLE, Ribeiro do. RAMOS, Jairo.Atualização Terapêutica. 23. ed. Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 2007, 2400p.

· PAIN, Isaias. Tratado de Clínica Psiquiátrica. 3. ed. São Paulo: E.P.U. Ed, 1991, 370p.

· PORTO, Celmo Celeno. PORTO, Arnoldo Leme. Semiologia Médica. 6. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2005, 1356p.

· SÓFOCLES. Édipo Rei. 1. ed. Porto Alegre: L&PM, 2001, 104p.

Aspectos Religiosos

· RIVAS NETO, Francisco. Do Sincretismo à Convergência. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE UMBANDA DO SÉCULO XXI, São Paulo: Faculdade de Teologia Umbandista, 2010.

· RIVAS NETO, Francisco. Sacerdote, Mago e Médico : cura e autocura umbandista: terapia da alma. 1. ed. São Paulo: Ícone, 2003, 493p.

· RIVAS NETO, Francisco. Vídeo-Aula 19: A ciência do Orixá - Parte 2 - Psicanálise e Arquétipos dos Orixás. Disponível em: mms://wm01.mediaservices.ws/ftu12-ondemand/FTU_VIDEOAULA_19.wmv. Acesso em: 28 jan 2010.

7 comentários:

  1. Muito interessante e elucidador o texto e estudos de Pai Rivas, científico, sem contudo deixar de nos levar as realidades do plano espiritual. Há muito, desde antes das décadas de 70 e 80, os cientistas e pesquisadores estudam a mente e seus fenômenos, onde se manifestam a vontade; a consciência e os ditames da Alma. Um grande Salve ! a todos vocês irmãos da FTU. E desde já bom período de recesso e feriado carnavalesco. André Julio, Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  2. Bênção, Pai!
    A mente indiferenciada equivale ao Espírito imanifesto? Ou, ao contrário, já constitui uma adaptação/manifestação da nossa essência?

    ResponderExcluir
  3. Sua Benção meu Pai. O tema abordado nesta postagem me chamou muito a atenção por, entre vários aspectos, acreditar que estamos atravessando momentos onde a demência, descrita da forma abordada pelo Sr,encontra-se presente em diversos aspectos de nosso cotidiano.Quando o
    Sr. cita o termo "doenças psicossomáticas" me leva a refletir sobre a importância em se ter um corpo sadio e principalmente uma mente sadia.
    Na minha parca visão sobre o assunto (pois minha formação acadêmica é na área das ciências humanas) ao ler essa postagem, entendi que uma
    "simples" dor de cabeça pode ser decorrência de uma má formação de um fluxo de pensamentos. Aprendi com o Sr que é importante elevarmos
    nossas mentes com pensamentos positivos e após a leitura dessa postagem vou procurar praticar cada vez mais o aprendizado.
    Obrigada Mestre por tudo.
    Sua Benção, meu Pai.
    Yanarayá

    ResponderExcluir
  4. Sua benção Mestre!
    Ao ler o seu blog de hoje, me faz refletir o quanto é importante a vigilância de nossos pensamentos, e principalmente não deixarmos outras mentes interferir em nos.
    Mais uma vez obrigada pela oportunidade de segui-lo em seus ensinamentos e de ser sua discípula
    Benção
    Yamaracy

    ResponderExcluir
  5. Sua Benção meu Pai!
    Aranauan, Saravá, Axé a todos os irmãos leitores deste blog!

    Pai Rivas utiliza conceitos chaves de Freud e outros pensadores para apresentar a idéia de Espiritualidade. No entanto, não podemos olvidar o ineditismo abordado no blog. Existem verdadeiras pontes nesta teoria que estão consubstanciadas em uma lógica simples com profundidade que alcança o “vazio” que é o Imanifesto, a Espiritualidade. Não é apenas um acadêmico ou um religioso defendendo uma “verdade” de um setor, mas um Sacerdote-Médico que nos apresenta a Convergência por meio do diálogo.

    Impossível encerrar este post sem citar também o fluxograma da mente. Nele percebemos esquematicamente como o Imanifesto se manifesta e os diversos níveis energéticos da mente. Lembrando as palavras de Pai Rivas, o Inconsciente Profundo guarda a Espiritualidade. Basta despertá-La e isto não é exclusividade da Religião ou de outra área da Gnose Humana. Todos podem acessá-La de forma harmônica, basta seguir um Método que decodifique e traduza para o Consciente. E deixa a Gira girar!

    ResponderExcluir
  6. Benção Mestre querido,
    Obrigada por estes textos, que são verdadeiros bálsamos pra minha alma, carente de síntese. Ao lê-los e refletir sobre eles consegui perceber melhor o quanto os ritos são organizadores mentais e curadores de nossas doenças.
    Eles reestabelecem o que o Sr. chama de fluxo normal entre os diferentes níveis da mente diminuindo assim os fluxos anômalos.
    Os símbolos presentes no templo, os gestos e as palavras das entidades qdo incorporam possibilitam as codificações necessárias para e regularização destes fluxos. Perfeito isso.
    Os ritos de Umbanda são muito terapêuticos!!!
    O senhor une de maneira harmoniosa e objetiva aspectos da medicina e da religião. Sou muito grata por isso, pois além de me ajudar a pensar sobre o meu trabalho (em saúde mental)me ajuda a pensar principalmente na minha espiritualidade (= minha saúde mental).

    Benção.

    ResponderExcluir
  7. Bênção Mestre e Pai Rivas! Aranauam!

    Fico feliz de poder ter acesso a tão importantes informações.
    Tenho muito interesse em compreender a demência. Minha mãe morreu de Alzheimer e sempre pensei que parte de seu problema residia no fato de ela nunca ter podido trabalhar corretamente sua espiritualidade (digo mediunidade), como também os vários problemas pelos quais passou nessa última encarnação, e que não foram resolvidos da forma mais adequada por não ter tido acesso, como muitos brasileiros.

    O senhor, como sempre, lança mais uma Luz e traz uma outra abordagem.

    Fico feliz de poder presenciar tal fato. Tenho muito a assimilar como sua aluna da FTU e filha de santé.
    Quiçá, um dia ser aceita como uma de suas discípulas.

    Um grande abraço, meu pai! Bênção!
    Fatima Desombergh

    ResponderExcluir